Lançamento do Míssil Antinavio Nacional versão Superfície (MANSUP): outubro de 2018.

0
5036
A SIATT realizou a entrega, no final de abril último, dos três modelos funcionais dos subsistemas destinados a testes de integração do míssil completo e testes em navios, a saber, o "Compartimento de Vante; o "Compartimento de Ré", e a "Cabeça de Combate Inerte" ou CCI.

Lançamento do Míssil Antinavio Nacional versão Superfície (MANSUP) será em outubro de 2018.

A empresa Sistemas Integrados de Alto Teor Tecnológico ou SIATT, atua no mercado de Defesa brasileiro trabalhando com armamento inteligente (bombas e mísseis guiados), integração de armamentos em plataformas navais, terrestres e aéreas, integração de sistemas de comando e controle, sistemas de combate, radares, sensores e equipamentos aviônicos.

Contratada pela Marinha do Brasil em setembro de 2017 para concluir o desenvolvimento do MANSUPMíssil Antinavio Nacional, versão de Superfície, a empresa realizou a entrega, no final de abril último, dos três modelos funcionais dos subsistemas destinados a testes de integração do míssil completo e testes em navios, a saber, o “Compartimento de Vante; o “Compartimento de Ré“, e a “Cabeça de Combate Inerte” ou CCI.

Os dois primeiros subsistemas compõem o SGNCSistema de Guiagem, Navegação e Controle do míssil. O Compartimento de Vante engloba o Computador de Guiagem, que controla todo este sistema e dois importantes sensores utilizados como referência: uma Unidade de Navegação Inercial, também conhecida como Plataforma Inercial, fornecida pela própria Marinha do Brasil, e um Altímetro, que realiza medidas da altitude de voo do míssil em relação ao nível do mar.

Compartimento de Vante

Completa o SGNC um conjunto de baterias que garante a alimentação elétrica de seus circuitos durante todo o período de voo livre do míssil.

O Compartimento de Ré contém as superfícies aerodinâmicas móveis (profundores) que realizam as mudanças da direção de voo do armamento, os atuadores (motores) que movimentam tais superfícies, uma bateria e dispositivos que realizam a interface com o lançador do navio.

Compartimento de Ré.

A CCICabeça de Combate Inerte é uma versão especial da carga útil do armamento utilizada durante seus ensaios de qualificação.

Ela abriga um Transmissor de Telemetria, cuja função é transmitir dados de voo do míssil durante seu lançamento.

Recebidos por uma estação de recepção de telemetria, tais dados possibilitam análise e avaliação do funcionamento do armamento desde o início da sequência de disparo até o impacto/passagem pelo alvo.

A CCI também engloba o DSADispositivo de Segurança e Armar, componente que garante o acionamento da carga útil do míssil após ele ter alcançado uma distância de segurança do navio lançador.

Já foi iniciada a produção das unidades desses equipamentos (e dos mísseis) para os lançamentos de teste do MANSUP.

O 1º está programado para ser realizado em outubro de 2018.