LAAD Security 2016: Avibras lançará a viatura Guará 4WS

0
9178
O protótipo do Avibras Guará 4WS.

 

O Guará 4WS 4×4 chega ao mercado de Segurança Pública após seus protótipos serem submetidos a extensa avaliação operacional no Haiti, onde foi usado pelos Capacetes Azuis brasileiros do BRABAT (Brazilian Battallion) em missões de patrulhamento e policiamento urbano e rural. (Imagem: Avibras Aeroespacial)

A Avibras Indústria Aeroespacial fará a apresentação oficial do protótipo da viatura Guará 4WS 4X4, versão para emprego policial, na LAAD Security 2016 (Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa), que acontecerá de 12 a 14 de abril no Riocentro Exhibition & Convention Center, no Rio de Janeiro.

A feira reúne empresas nacionais e internacionais que fornecem tecnologias, equipamentos e serviços para Segurança Pública, Forças Policiais, Forças Especiais, Forças Armadas, Law Enforcement, Homeland Security e gestores de segurança de grandes corporações, concessionárias de serviços e infraestrutura crítica do Brasil e América Latina.

Esta é a primeira vez que a Avibras participa da LAAD Security. O objetivo da empresa é diversificar e preencher nichos de mercado que hoje estão ocupados por fornecedores externos, com equipamentos no limiar da tecnologia, concebidos, desenvolvidos e testados no Brasil.

O protótipo da nova viatura Guará 4WS 4X4 ficará em destaque no estande da Avibras, localizado no Hall 4 (área A-30). A viatura, que foi inteiramente projetada pela Avibras, traz incorporada toda a tecnologia aplicada pela empresa em seus projetos de emprego militar. O resultado é um veículo com proteção balística e com a capacidade de rápido aumento ou redução dessa proteção em função da concepção modular que foi aplicada no projeto.

A agilidade e mobilidade com tração 4×4 e direção nas quatro rodas são características fundamentais para operação no cenário urbano e rural. Essas qualidades somam-se ao grande índice de nacionalização dos componentes, que inclui os chassis de projeto Avibras e fabricação nacional, que contribuem para um produto de ótimo custo, além da garantia de fornecimento e suporte pós-venda de uma empresa 100% brasileira.

Versatilidade

Com capacidade para cinco tripulantes devidamente equipados, a viatura é destinada ao emprego tático em operações especiais de forças de segurança em área urbana no combate ao crime organizado, repressão ao assalto a bancos e carros-fortes, e a guerra contra o tráfico de drogas. Versátil, pode ser utilizada em áreas rurais no combate aos conflitos armados causados pela posse da terra.

Também está disponível na versão transporte de pessoal com capacidade para 10 tripulantes e na versão apropriada para Defesa Civil e Polícia Florestal. Além do Guará, a Avibras também apresentará na LAAD Security os conceitos de emprego de tecnologias de Comando e Controle (C²) para viaturas policiais, bem como tecnologias relativas à digitalização do policial em ações táticas.

Vigilância

O Falcão emerge como solução nacional para atender as necessidades das Forças Armadas do País. (Imagem: Avibras)

Outro produto da Avibras, que estará em destaque na LAAD é o Falcão – Aeronave Remotamente Pilotada (ARP). Com tecnologia para aplicações civis e militares, o Falcão é a primeira ARP nacional na classe de 800 Kg e atende plenamente os requisitos das Forças Armadas do Brasil.

A aeronave pode ser utilizada para a vigilância de fronteiras, vigilância marítima, combate ao tráfico de drogas, combate a crimes ambientais, controle de queimadas, gerenciamento de crises e segurança de grandes eventos, bem como em missões de busca e salvamento em áreas afetadas por calamidades.

A plataforma do Falcão é feita em fibra de carbono, que garante maior leveza ao veículo e aumenta o espaço disponível para que ele possa carregar mais combustível e sensores. Com mais de 16 horas de autonomia, o Falcão está configurado para carregar um conjunto de sensores eletro-ópticos (para coletar imagens, incluindo de vídeo, tanto durante o dia quanto a noite), um radar de detecção de alvos móveis no solo ou no mar e um link de satélites, com alcance de até 1.500 Km.

Ivan Plavetz e Roberto Caiafa