Itália participará do programa Aster 300 Block 1 NT

0
2509

O consórcio EUROSAM, formado pela MBDA e Thales, foi notificado pela Organização de Cooperação Conjunta em Armamentos (OCCAR conforme sigla em francês) sobre a emenda 1 do contrato para o programa B1NT, que acrescenta a participação da Itália no programa.

O programa B1NT inclui o desenvolvimento da nova versão Block 1 NT (New Technology) do míssil superfície-ar Aster, bem como a modernização dos sistemas de lançamento SAMP/T usados atualmente pela Força Aérea da França e o Exército da Itália. De acordo com a MBDA, esses sistemas ganharão capacidades refinadas, principalmente contra mísseis balísticos, constituindo uma contribuição essencial dos dois países para a OTAN nessa área.

O desenvolvimento do míssil Aster 30 Block 1 NT leva em conta o requisito de duplo emprego (mesmo míssil para sistemas Aster terrestre e naval), incluindo os ajustes necessários para permitir que o míssil seja disparado de navios de guerra. A Itália já expressou sua pretensão de empregar o Aster 30 Block 1 NT a bordo de seus futuros navios de patrulha offshore PPA (Pattugliatori Polivalenti d’Altura).

Antoine Bouvier, CEO da MBDA, disse que a notificação italiana reforça o programa Aster muito além da contribuição financeira e tecnológica. “Mais uma vez, a cooperação na Europa é muito superior à soma das suas partes”, avaliou Bouvier.

Ocupando o lugar do atual Aster Block 1, que representou para a Europa o seu primeiro sistema de defesa contra a ameaça de misseis balísticos, o Aster 30 Block 1 NT permitirá estender essa capacidade contra ameaças mais complexas, incluindo os emergentes Misseis Balísticos Anti-Navio (ASBM conforme sigla em inglês).

Raio X do Aster 30 Block 1 NT

(Imagem: MBDA)

A evolução contida no Aster 30 Block 1 NT está baseada em um novo autodiretor que opera na banda Ka, substituindo o atual autodiretor que opera na banda Ku, bem como a dotação de um novo sistema de controle do míssil. A MBDA afirma que esses aperfeiçoamentos renderão significativas melhorias de performance da arma.

O novo míssil será capaz de interceptar ameaças do domínio MRBM (Mísseis Balísticos de Médio Alcance), enquanto que o atual Aster 30 Block 1 tem capacidade contra SRBMs (Mísseis Balísticos de Curto Alcance) com até 600 quilômetros de alcance. Ele também será capaz de lidar com mísseis portadores de ogivas separáveis.

Lançado em 1988 pela França e Itália, a família Aster (também conhecida como FSAF- Future Surface-to-Air Family) são lançados de plataformas terrestres fixas e através dos sistemas móveis SAMP/T e estão em serviço no Exército da Itália e na Força Aérea da França. Há também as versões navais para autodefesa de navios aeródromos das Marinhas dos dois países, bem como para proteção de fragatas e destroiers britânicos, franceses e italianos. O Reino Unido emprega mísseis Aster a bordo de seus destroiers Tipo 45, sendo a nova versão Block 1 NT considerada para substituí-los.

Mísseis Aster estão operacionais no sistema ALTBMD (Active Layered Theatre Ballistic Missile Defence) da OTAN com o propósito de defender forças aliadas contra ameaças balísticas.

Fragatas da classe Orizzonte, da Marinha da Itália, levando sistemas Aster a bordo foram desdobradas em março de 2011 para atuar na missão No-Fly Zone, na Líbia, em caráter de cooperação com a ONU. Sistemas SAMP/T do Exército da Itália atualmente estão presentes na Turquia como parte da assistência da OTAN para defensa contra possíveis ataques de mísseis vindo da Síria.

 

Ivan Plavetz