Helibras avança na versão operacional do EC725 da Marinha

0
2748
Foto 1 EC725-MB. Imagem de abertura .
EC725-MB (Imagem: Ivan Plavetz)

A equipe do Centro de Engenharia da Helibras está avançando na integração dos equipamentos que irão compor o Sistema Tático de Missão (TDMS conforme sigla em inglês) da versão operacional do helicóptero EC725 da Marinha do Brasil, configuração mais complexa já planejada pela empresa até hoje. Nos últimos meses, o radar de vigilância marítima passou por ensaios em voo no litoral de São Paulo.

Foram cerca de 40 horas onde a equipe de ensaios da empresa, acompanhada da engenharia de sistemas, pôde testar os comandos de controle do radar e suas habilidades para detecção de alvos. Os testes aconteceram na bacia de Santos, onde diversas embarcações foram observadas.

“A campanha comprovou o bom funcionamento do sistema no EC725, que agora deverá voltar ao nosso laboratório de integração CSIB (Complete System Integration Bench) que irá incluí-lo, nas próximas fases, no Sistema Tático de Missão”, explicou Walter Filho, diretor do centro de engenharia da Helibras.

Outro equipamento integrante do TDMS que já passa por testes é o Console de Operação Tática, que teve a sua primeira unidade completamente funcional instalada no helicóptero BRA 005, célula usada como protótipo para a versão operacional da Marinha do Brasil. No helicóptero, a unidade passou por validação de ergonomia.

Esse primeiro console funcional será empregado em ensaios de desenvolvimento completo do Sistema de Missão Naval do EC725 no novo laboratório ainda em 2015. O console é um desenvolvimento realizado em parceria com a empresa Atech, baseada em São Paulo, e uma das fornecedoras contratadas para a transferência de tecnologia no programa EC725, com o apoio da Airbus Defence & Space. O equipamento permite que um operador localizado na parte traseira da cabine do helicóptero tenha uma visão completa do cenário tático que se apresenta ao redor da aeronave, com a possibilidade de acionamento de armamentos ou dos sistemas de autodefesa diretamente no console.

Enquanto os testes acontecem no laboratório, a aeronave BRA 005 é configurada pela equipe de protótipos da Helibras para receber o TDMS e demais sistemas complementares que já passaram pela avaliação no CSIB. “O objetivo é integrar, nesse protótipo BRA 005, os sistemas que foram testados apenas em solo ou separados, como por exemplo o radar de vigilância marítima, para realizar, no primeiro semestre deste ano, a primeira campanha de ensaios em voo de integração”, segundo Walter Filho.

O CSIB é o novo laboratório de testes utilizado para a integração dos sistemas no helicóptero EC725 antes de efetivamente instalá-los nas aeronaves. A plataforma central do laboratório foi criada por uma equipe de engenheiros brasileiros em treinamento prático on-the-job-training, na França. A conclusão e implantação ocorreram em Itajubá (MG) no início do segundo semestre de 2014.

Dentre os itens que já passaram por teste e integração destacam-se os sistemas de mapeamento digital, imageamento infravermelho e contramedidas eletrônicas.

Ivan Plavetz