Fragata Independência ajuda apreender entorpecentes no Líbano

A fragata Independência (F44) da Marinha do Brasil (MB), capitânia da Força-Tarefa Marítima da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FTM-UNIFIL), engajada em operações de interdição marítima na costa do Líbano, detectou e acompanhou duas embarcações de lazer suspeitas, ao largo do porto de Saida, em Sidon, no Líbano. Com a ação, a Marinha do Líbano apreendeu uma grande quantidade de entorpecentes.

Como as embarcações não respondiam aos chamados, a fragata Independência informou a situação para a Marinha do Líbano (LAF-Navy), enquanto tentava manter contato visual e radar com as lanchas. Das duas embarcações, uma conseguiu fugir para o mar aberto e a outra se dirigiu para o porto, quando foi possível, a bordo da fragata brasileira, fazer um registro fotográfico da lancha antes que ela também fugisse para águas inacessíveis ao navio.

Poucas horas depois dessas ações, unidades da Marinha do Líbano encontraram uma embarcação emborcada, nas proximidades de Saida, sem tripulantes e com grande quantidade de fardos flutuando ao seu redor, tendo sido solicitado apoio à FTM para recuperar o material suspeito e manter a embarcação flutuando para posterior perícia.

O registro fotográfico efetuado pela Independência permitiu constatar que a embarcação emborcada era a mesma que fugira para o porto. Em atendimento à solicitação da LAF-Navy, a FTM destacou para a cena de ação a fragata Ali Haider (Marinha de Bangladesh), que apoiou no recolhimento do material com suas embarcações orgânicas e mergulhadores.

Fragata Ali Haider (Bangladesh) apoia o recolhimento de material da lancha apreendida. (Imagem: Marinha do Brasil)

Declarações do Lebanese Army Command – Orientation Directorate, órgão responsável pela comunicação social das Forças Armadas libanesas, confirmaram que foram apreendidas 2,5 toneladas de cocaína, captagon e haxixe, e informaram que as pessoas com possível ligação com o ocorrido estão sendo procuradas.

A UNIFIL, criada em 1978, é a única Missão de Paz da Organização das Nações Unidas que conta com um componente naval, a FTM, estabelecida a partir de 2006, sob o mandato da Resolução 1.701 do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Desde a sua implementação, já interpelou mais de 70.000 navios, direcionando cerca de 8.000 deles para inspeção pelas autoridades libanesas. O Brasil assumiu o comando da Força-Tarefa em fevereiro de 2011 e, a partir de novembro daquele mesmo ano, passou a enviar regularmente navios para atuarem como  capitânia.

Ivan Plavetz

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A Condor Tecnologias Não Letais anunciou detalhes dos integrantes do Conselho de Administração, após a recente aquisição de uma participação...

Acordo entre França, Bélgica, Chipre, Estônia e Hungria, assinado em 19 de junho, celebra a cooperação estratégica para a aquisição...

A KATIM, uma empresa do Grupo, e a Thales começarão a discutir o co-desenvolvimento de tecnologias de rádio definido por...

Durante a Eurosatory 2024, que esta ocorrendo no Centro de exposições Paris-Nord Villepinte, localizado nos arredores de Paris, a empresa...

Comentários

DISPONÍVEL