FIDAE 2016: Airbus Helicopters e a desaceleração econômica da América Latina

0
1341
(Imagem: Ivan Plavetz)

A Airbus Helicopters está se ajustando aos vários aspectos de negócios na área militar e civil frente aos efeitos da desaceleração econômica na América Latina.

durante reunião com a imprensa na FIDAE 2016, Mesrob Karalekian, gerente da Airbus Helicopters na América Latina, disse que os problemas econômicos, que são em grande parte impulsionados pela queda no preço mundial do petróleo, levaram a empresa a reestruturar os principais esforços na região, embora em algumas áreas as perspectivas são um pouco mais positivas.

Conforme foi apontado por Karalekian, as entregas de plataformas aéreas militares e civis fabricados pela companhia para a América Latina foram reduzidas em torno de 70% desde 2013. “Em 2013 foram entregues 215 helicópteros, enquanto em 2015 foram 60 unidades”, revelou o dirigente.

Todos os mercados foram afetados pela desaceleração da economia regional notadamente pela queda dos preços do petróleo repercutindo nos orçamentos estatais e nos departamentos responsáveis pela aquisição de helicópteros, entre eles, Ministérios da Defesa, informou Karalekian. Ele também apontou a redução das atividades offshore das companhias de petróleo e gás, fato que reduziu o uso de helicópteros nas plataformas marítimas de extração.

Imagem 2 Airbus-LatinAmericanEcon.Troubles
Problemas econômicos na América Latina demandaram ajustes incluindo no HX-BR (Imagem: Ivan Plavetz)

Pelo lado militar, a desaceleração afetou o maior programa regional implantado pela Airbus Helicopters através da subsidiária brasileira Helibras, o HX-BR. “A economia brasileira não está tão bem agora. O programa do helicóptero EC725 (H225M) é muito importante e estamos discutindo caminhos para preserva-lo”, disse Karalekian.

Para conseguir isso, a Airbus Helicopters e o governo brasileiro concordaram, em dezembro de 2015, em reduzir a cadência de entregas do lote de 50 aeronaves previstas no contrato do HX-BR de sete para quatro por ano, estendendo o final do programa para 2022. Até agora, 22 helicópteros do modelo foram entregues para as Forças Armadas do Brasil e já estão em operação.

Ivan Plavetz
Fonte: Jane’s Defence Weekly