Farnborough International Air Show 2018 em fotos e vídeos.

0
2549
A edição 2018 tem como destaque na aviação comercial a vigorosa demonstração de fôlego comercial da Embraer, com anúncios importantes que totalizam mais de 300 aeronaves encomendadas, e na aviação militar, o anúncio oficial do futuro caça de 6ª geração da Royal Air Force (RAF), o Tempest, apresentado como peça chave de uma nova estratégia de guerra aérea desenhada para proteger as ilhas britânicas.

Show Aéreo Internacional de Farnborough é um evento de uma semana que combina uma grande exposição comercial para a indústria aeroespacial e de defesa com shows aéreos de máquinas civis e militares.

O evento é realizado em meados de julho, em anos pares, no Aeroporto de Farnborough, localizado em Hampshire (UK).

Os primeiros quatro dias (de segunda a quinta-feira) são dedicados exclusivamente ao trade aeroespacial, com o final de três dias abertos ao público em geral.

190E2 x A220-300 (acima e abaixo): Embraer e Bombardier continuarão a duelar, porém sob nova direção (Boeing e Airbus).

A edição 2018 tem como destaque na aviação comercial a vigorosa demonstração de fôlego comercial da Embraer, com anúncios importantes que totalizam mais de 300 aeronaves encomendadas, e na aviação militar, o anúncio oficial do futuro caça de 6ª geração da Royal Air Force (RAF), o Tempest, apresentado como peça chave de uma nova estratégia de guerra aérea desenhada para proteger as ilhas britânicas.

Tempest, a 6ª geração com estilo britânico

A aeronave stealth de 6ª geração, que eventualmente substituirá o caça Typhoon, será desenvolvida e fabricada pela BAE Systems em parceria com outras importante empresas européias.

Estão reservados £ 2 bilhões para o financiamento inicial, necessários para viabilizar o projeto e a construção da aeronave, que estará operacional em 2035.

O projeto é uma joint venture entre a BAE Systems, a Rolls Royce, a MBDA UK e a Leonardo, que se juntaram ao RAF Rapid Capabilities Office para formar o “Team
Tempest”.

Essa equipe industrial reúne as quatro áreas tecnológicas chave do futuro combate aéreo: sistemas aéreos avançados de combate e integração (BAE Systems); sistemas avançados de energia e propulsão (Rolls-Royce); sensores avançados, eletrônica e aviônica (Leonardo) e sistemas avançados de armas (MBDA).

As primeiras decisões sobre as capacidade desejadas serão confirmadas até o final de 2020. Decisões finais de investimento não saem antes de 2025.

O objetivo é obter até o ano de 2035 uma plataforma operacional  da próxima geração.

O governo britânico afirmou que o F-35 Lightning II (stealth de 5ª geração) e o Typhoon (4ª geração) complementarão a frota aérea de combate da Royal Air Force (RAF), “colocando o Reino Unido na vanguarda da tecnologia aérea de combate”.

O Typhoon ainda possui duas décadas de vida útil, devendo permanecer em serviço até 2040.