FAB inicia preparação de novos pilotos de helicóptero

0
2042
Imagem 1 FuturosPilotosEsquadrão Gavião
(Imagem: Força Aérea Brasileira)

Nesta teve início a preparação dos futuros pilotos de helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB). As instruções são realizadas no 1°/11° GAv, Esquadrão Gavião, em Natal (RN), e contam com 20 aspirantes.

“O 1°/11°GAv é o responsável pela formação de todos os pilotos de helicóptero da FAB, bem como o único formador de mantenedores da aeronave H-50 Esquilo no Comando da Aeronáutica”, explicou o comandante da unidade, tenente-coronel Alexandre de Carvalho Ribeiro.

Durante o Curso de Especialização Operacional em Asas Rotativas (CEOAR), os aspirantes serão imersos em um mundo novo, uma vez que tinham formação exclusivamente voltada para aeronaves de asa fixa. Até o fim do ano serão cerca de 90 horas de instrução que envolvem voos de adaptação diurna e noturna, área restrita, formatura básica e tática, rapel e mcguire (método inglês de içamento), emprego armado, entre outros. Após o término do curso eles serão encaminhados para as Unidades Operacionais da Segunda Força Aérea (II FAE).

“A minha escolha pela aviação de asas rotativas se deu devido à possibilidade de trabalhar salvando vidas, além de estar em contato com vetores modernos e bem equipados, e trabalhando em equipe com os demais tripulantes no cumprimento das missões”, contou o aspirante Caio Liguori.

Para receber os aspirantes, o Esquadrão Gavião realizou uma intensa preparação, principalmente do setor de material, a qual colocou  as nove aeronaves do 1º/11º GAv em condições plenas de operação.

Imagem 2 FuturosPilotosEsquadrão Gavião
Helicópteros H-50 Esquilo em frente ao hangar do Esquadrão Gavião. (Imagem: 1º/11º GAv/Sgt Carlos Eduardo)

“Os bons índices só puderam ser atingidos com o empenho dos militares do setor de material. Em um trabalho anônimo, somente no ano passado, os mantenedores realizaram 132 inspeções. Além disso, o apoio do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP), da Primeira Força Aérea (I FAE) e da Base Aérea de Natal (BANT) foram imprescindíveis”, destacou o chefe da manutenção, capitão Milton Merlino.

O sargento Gley Jackson Kauffmann é auxiliar da inspetoria e tem 17 anos de experiência na manutenção de helicópteros. “O Esquilo tem a manutenção relativamente simples e, quando associada à boa disponibilidade de suprimento, as aeronaves respondem bem”, conclui.

Ivan Plavetz