Esquilo da Polícia Civil do Rio Grande do Sul completa mil horas de voo

0
1377

Um helicóptero Helibras Esquilo da Polícia Civil do Rio Grande do Sul (PCRS) completou no mês de setembro 1000 horas de voo em operações policiais, de defesa civil e missões especiais executadas pela instituição, em todo o estado gaúcho. A aeronave de prefixo PR-HPC esta baseada no Aeroporto Internacional Salgado Filho, na capital Porto Alegre.

“A grande característica do helicóptero é a sua versatilidade operacional. Sua alta manobrabilidade permite prestar um apoio direto às equipes que atuam em terra para a proteção e observação de toda a operação em curso. A facilidade de pouso em áreas próximas ao evento também é um diferencial” comentou o delegado Francisco Soares, diretor da Divisão de Apoio Aéreo da PCRS.

Identificado pela fabricante como H125, a aeronave é utilizada em acompanhamento de operações de busca e apreensão, no monitoramento aéreo de assaltos, sequestros e veículos suspeitos, além de missões especiais como segurança durante eventos com grande concentração de público, acompanhamento de comboios e verificação de áreas desmatadas. Em verificação ou levantamento de dados, o helicóptero permite uma visão privilegiada da área de interesse, gerando novos planejamentos para as ações.

Equipe de voo da PCRS ao lado do PR-HPC (Imagem PCRS/Divulgação)
Equipe de voo da PCRS ao lado do PR-HPC (Imagem: PCRS/Divulgação)

A aeronave também está homologada para operar com uso de bambi bucket (reservatório aerotransportado para lançamento de água) em apoio, quando solicitado, ao Corpo de Bombeiros para combate a incêndios. O modelo também pode empregar plataforma suspensa para transporte de equipes para locais de difícil acesso por terra, bem como capacidade para resgatar banhistas com uso de guincho (ou grua).

Para  defesa civil, o Esquilo também contribui no atendimento à população em situações de enchentes transportando mantimentos e roupas para localidades isoladas, remoção de pessoas enfermas com assistência de médico e enfermeiro a bordo, entre outras situações de risco e urgência.

Ao completar 1000 horas de voo, a aeronave passou no mesmo mês por inspeção na Helibras para garantir segurança e desempenho de todas as próximas atividades da PCRS. “É um aparelho de suma importância. Costumamos ter o relato de equipes em terra de que, em operações policiais, o alvo não reage em razão da presença do helicóptero. A aeronave também contribuiu muito em uma ação de entrega de mantimentos, durante uma enchente, para famílias que estavam isoladas e haviam sido localizadas pelo Esquilo”, enfatizou Soares.

 

Ivan Plavetz