Esquadrão Zagal passa a atuar em Porto Velho

O Quinto Esquadrão do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (5º/1º GCC), Esquadrão Zagal, responsável por operar um radar de aproximação PAR 2000 T que atua na vigilância do espaço aéreo brasileiro, está em fase de conclusão da mudança de sua atual sede em Fortaleza (CE) para a Base Aérea de Porto Velho (BAPV), em Rondônia.

Essa mudança de sede segue as diretrizes da Estratégia Nacional de Defesa (END), de 2008, que coloca a região amazônica como prioridade das Forças Armadas.

Segundo o comandante do Esquadrão Zagal, major Regilânio Isaias Aguiar de Melo, embora o radar PAR 2000 T seja móvel, a sede não é indiferente. Estar alocado junto a uma unidade operacional de defesa aérea, além de colaborar no treinamento dos controladores de tráfego aéreo, também contribui para a segurança de voo nas aproximações para pouso em caso de condições meteorológicas adversas. As unidades que operam na BAPV são o 2º/3º GAv, Esquadrão Grifo, que voa aviões A-29 Super Tucano, e o 2º/8º GAv, Esquadrão Poti, unidade que opera com helicópteros de ataque AH-2 Sabre.

“A presença do 5º/1º GCC no extremo oeste brasileiro é importante para aumentar a cobertura e a vigilância do espaço aéreo do País. Nossa mudança para Porto Velho pode ser considerada um reforço no âmbito dos esforços desenvolvidos juntamente com outros organismos relacionados ao controle do espaço aéreo”, afirmou o major Aguiar.

Devido à mobilidade, a função primordial do radar do Esquadrão Zagal é o deslocamento para áreas onde há uma necessidade pontual de controle. Nesses locais, não existe cobertura de radar devido à quantidade reduzida de tráfego. Em ocasiões como operações militares, grandes eventos ou exercícios operacionais, um dos Grupos de Comunicações e Controle se mobiliza para atender a demanda. É o que deve acontecer, por exemplo, durante as Olimpíadas Rio 2016, quando haverá um fluxo maior de tráfego aéreo em determinados locais.

Aparelhamento da região amazônica

Nos últimos anos, outras organizações da Força Aérea Brasileira (FAB) seguiram o mesmo caminho rumo à região amazônica.

Em 2010, o Esquadrão Poti saiu de Recife (PE) para a BAPV, ocasião em que recebeu os helicópteros AH-2 Sabre, concebidos especificamente para missões de ataque. No mesmo ano, houve a transferência do 1º/4º GAv, Esquadrão Pacau, que opera aviões de combate F-5M, para a Base Aérea de Manaus (BAMN). Já em março de 2015, o então Ministro da Defesa, Jaques Wagner, inaugurou o Destacamento de Aeronáutica de Eirunepé, município de 30 mil habitantes localizado a 1.160 Km de Manaus.

Ivan Plavetz

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Um misto de alívio e expectativa. Foi assim que o Sindicato Nacional de Materiais de Defesa (SIMDE) recebeu a notícia...

A Elbit Systems anunciou ontem o contrato avaliado em US$ 600 milhões para o fornecimento de sistemas para a Hanwha...

Decisão evitará prejuízos a empresas do setor que corriam risco de perder contratos e contribuirá para a sustentabilidade e a...

O cabo Raony Osório, da Polícia Militar do Estado de Santa Catarina (PMSC), que desde maio de 2022 está como...

Comentários

Disponível

DISPONÍVEL