Esquadrão Orungan é transferido para o Rio de Janeiro.

0
2808
Os P-3AM irão operar em Santa Cruz (RJ).
  • Dando continuidade ao Processo de Reestruturação da FAB, 1º/7º GAV atuará na Ala 12.

O 1º/7º Grupo de Aviação (Esquadrão Orungan) realizou a passagem de comando e despedida da Ala 14, em Salvador (BA).

A célula P-3AM FAB 7201, desativada para a remoção de peças, foi usada em Santa Cruz para verificar a maneabilidade do avião dentro do hangar do Zepellin.

O Tenente-Coronel Aviador Allan Davis Cabral da Costa passou o comando do Esquadrão ao Tenente-Coronel Aviador Erivando Pereira Souza.

O 1º/7º GAV será transferido para a Ala 12, no Rio de Janeiro (RJ).

A cerimônia aconteceu no dia 11/01 e foi presidida pelo Comandante da Ala 14, Coronel Aviador José Henrique Kaipper.

O General da Força Aérea Portuguesa, Antonio José Frias Vasques Osório, prestigiou o evento, que também contou com a presença de veteranos e pracinhas da Segunda Guerra Mundial.

Uma tropa de 41 militares da Marinha do Brasil, sob o comando do Capitão de Fragata Robson de Macedo Nascimento, Comandante do Grupamento de Patrulha Marinha do Leste, também esteve presente.

Em seu discurso de despedida, o Tenente-Coronel Allan agradeceu a equipe e as missões no Esquadrão Orungan. “Não esquecerei jamais do grande esforço de todos, seja nas longas horas de preparação da aeronave pela equipe de manutenção, seja no cumprimento de longas horas de voo”, afirmou.

O Tenente-Coronel Erivando, ao receber o comando do Esquadrão, destacou a honra e a alegria de poder estar à frente da Unidade Aérea. “É um grande desafio na minha carreira gerenciar a transferência desta Unidade e seu efetivo em apoio à Reestruturação da Força Aérea”, declarou.

Durante a cerimônia de despedida, alguns feitos do Esquadrão Orungan foram lembrados, dentre eles, as missões de Busca e Salvamento, o pioneirismo no Brasil no domínio da Guerra Eletrônica, a surpresa dos americanos e ingleses quando o Esquadrão alcançou o segundo lugar na missão da OTAN, Joint Warrior, e a operação do Projeto do P-3AM.

Os P-3AM podem ser armados com torpedos antisubmarino, mísseis antinavio e minas navais.

Imagens: cabo Jones (FAB) / Roberto Caiafa