Especialistas atestam qualidade das imagens do CBERS

0
1940

A qualidade das imagens obtidas pelas câmeras do satélite sino-brasileiro foi atestada durante a Revisão Final de Comissionamento do CBERS-4, realizada na última semana, na sede do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP).

O CBERS-4 é o quinto satélite do Programa CBERS e conta com quatro câmeras, duas brasileiras (MUX e WFI) e duas chinesas (PAN e IRS). A multiplicidade de sensores torna o CBERS-4 capaz de atender a diversas aplicações, como monitorar desmatamentos, queimadas, o nível de reservatórios, desastres naturais, a expansão agrícola e o desenvolvimento das cidades, entre outras.

“Os principais objetivos da Revisão foram avaliar a qualidade radiométrica e geométrica das câmeras e disponibilizar o satélite para a operação de rotina”, revelou Antônio Carlos de Oliveira Pereira Junior, que coordena o Segmento Espacial do Programa CBERS.

Imagem 3 CBERS-4-Comissionamento
Câmera WFI do CBERS-4 ainda na sede da fabricante brasileira Opto Eletrônica. (Imagem: Ivan Plavetz)

Os resultados do período de comissionamento foram avaliados por um comitê revisor, que considerou não haver qualquer impedimento para a operação de rotina do CBERS-4.

É chamada de comissionamento a primeira fase de funcionamento em órbita de um satélite, quando seus equipamentos e subsistemas passam por testes e ajustes. Mesmo antes do final do comissionamento, o INPE  já vinha disponibilizando as imagens do CBERS-4 no catálogo online.

“Os usuários têm nos dado retorno positivo sobre o uso das imagens”, comentou João Vianei Soares, coordenador do Segmento de Aplicações do Programa CBERS. “Imagens da câmera brasileira MUX foram usadas para avaliar a extensão do desastre em Mariana, por exemplo. A resolução da PAN é ótima para estudos urbanos. A câmera WFI, com 65 m de resolução e quase 900 Km de faixa, revisita o mesmo alvo a cada 5 dias, com excelente qualidade tanto geométrica quanto radiométrica, e já está em uso nos projetos DETER e PRODES. A IRS também podem atender a diferentes usos. Cada câmera possui um nível de resolução capaz de gerar imagens no detalhamento necessário conforme a aplicação”.

Imagem coletada pela câmera MUX do CBERS-4 (Imagem: INPE)

A Revisão Final de Comissionamento do CBERS-4 contou com a presença do diretor do INPE, Leonel Perondi, e dos coordenadores dos segmentos Espacial, de Aplicações e de Controle do Programa CBERS, além de especialistas do Instituto e da AMS Kepler Engenharia de Sistemas, responsável pelo software utilizado no processamento das imagens do satélite.

Lançado em dezembro de 2014, o satélite CBERS-4 é resultado do esforço pela capacitação e crescimento do mercado de alta tecnologia no país. Mais informações sobre o Programa CBERS (sigla em inglês para China-Brazil Earth Resources Satellite) estão disponíveis na página http://www.cbers.inpe.br.

Ivan Plavetz
Fonte: INPE