ENGIE fornece Centros Integrados de Controle para Estaleiro de Construção da Marinha (PROSUB)

0
2221
os Centros Integrados de Controle do ESC são compostos pelos seguintes sistemas: Centro de Dados – CD; Centro de Operações e Segurança – COS; Centro de Controle de Infraestrutura – CCI; Sistema de Comunicações Rádio.
  • Projeto integra o Programa para Desenvolvimento de Submarinos.
  • Empresa contribuiu com índice de nacionalização do projeto.

A ENGIE está participando do projeto PROSUB – Programa para Desenvolvimento de Submarinos da MARINHA DO BRASIL – com a implantação dos Centros Integrados de Controle do Estaleiro de Construção (ESC), em Itaguaí (RJ), que receberá a visita do Presidente da República Michel Temer nesta sexta-feira (14).

Tecnologia & Defesa estará presente.

A ENGIE venceu concorrência realizada pela empreiteira contratada pela Marinha do Brasil para a construção dos Estaleiros e Base Naval, e implantou  os Centros Integrados de Controle do ESC, compostos pelos seguintes sistemas:

  • Centro de Dados – CD
  • Centro de Operações e Segurança – COS
  • Centro de Controle de Infraestrutura – CCI
  • Sistema de Comunicações Rádio

Trata-se de um projeto de engenharia de elevada complexidade.

A ENGIE foi responsável pelo detalhamento e gerenciamento do projeto; fornecimento de equipamentos; prestação de serviços especializados de engenharia; instalações, entre outros.

Estas atividades foram desenvolvidas com supervisão e fiscalização constantes por parte da Marinha do Brasil, conferindo adequado grau de sinergia ao processo de implantação dos Centros Integrados do Estaleiro de Construção.

A ENGIE entrou o projeto em 2015 e está concluindo agora a implantação de todos os Centros Integrados.

NACIONALIZAÇÃO E NOVO CONTRATO

Com sua participação, a ENGIE ainda contribuiu para o aumento do índice de nacionalização do projeto, uma vez que o MAESTRO (software utilizado no Centro de Operação e Segurança) foi totalmente desenvolvimento no Brasil e poderá ser utilizado nas fases futuras do projeto.

“Desta forma, a companhia se alinha com o objetivo da Marinha do Brasil de nacionalizar o maior número possível dos produtos e sistemas adquiridos em todas as fases do programa, de grande importância no contexto estratégico do País”, disse Maurício Bähr, CEO da ENGIE.

Em outubro deste ano, a empresa venceu a seleção para fornecer equipamentos e prestar serviços especializados de engenharia para a BSIM (Base de Submarinos da Ilha da Madeira).

A empresa vai trabalhar nos sistemas preliminares de Centro de Dados e do Centro de Controle de Infraestrutura e de Incêndio da Base, uma nova etapa do programa de submarinos da Marinha.