Dia Internacional dos Peacekeepers da Organização das Nações Unidas

No dia 28, uma formatura foi realizada, no Comando Militar do Planalto (CMP), como parte das comemorações do Dia Internacional do Peacekeeper, 29 de maio.

Com a presença do Ministro de Estado da Defesa, General de Exército Joaquim Silva e Luna, integrantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica prestaram suas homenagens aos militares brasileiros que se dedicaram a manter a paz em terras estrangeiras em missões da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante a leitura da ordem do dia, o Ministro destacou que a paz “não se mantém sem o esforço vigoroso de pessoas dedicadas e destemidas. A harmonia e a conciliação são facilmente destruídas por falhas humanas, como a ganância por recursos, a cobiça por poder, o anseio por vingança, o apetite pela crueldade e o apego cego a ideologias violentas. A paz requer fortes defensores”.

Uma corbelha de flores foi colocada no monumento aos Peacekeepers, como homenagem póstuma aos militares falecidos em missões das Nações Unidas. Os “boinas azuis”, como são conhecidos esses soldados da paz, desfilaram ao términio da cerimônia. Para a Terceiro-Sargento de Saúde do 11º Depósito de Suprimento, Miriam Valentim de Moraes, participar do evento é uma forma de relembrar os soldados que, assim como ela, contribuíram de alguma forma para a manutenção da paz: “estou orgulhosa de ser uma peacekeeper, porque eu sei que deixei minha contribuição para que o Haiti possa ter um ambiente mais seguro e estável. Sinto-me grata por ter tido a oportunidade de participar dessa missão”.

Missões de Paz

Desde o início das operações de paz da ONU, em 1948, já foram 71 missões realizadas, envolvendo cerca de 120 países. O Brasil participa desde 1956 e empregou, somente na Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti, a MINUSTAH (2004-2017), 37 mil militares, dentre homens e mulheres.

“No momento, o nosso País integra 10 diferentes missões das Nações Unidas. Destacamos a Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), que conta com o Contra-Almirante Eduardo Machado Vazquez, da Marinha do Brasil, à frente da Força-Tarefa Marítima e a Fragata Independência como Navio Capitânia.

A Missão de Estabilização da Organização das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO) é comandada pelo General de Divisão Elias Rodrigues Martins Filho, do Exército Brasileiro. Hoje, o Brasil emprega 270 militares, ao todo, para a promoção da paz no mundo”, afirmou o Ministro da Defesa, durante a formatura.

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Empresas brasileiras destacam inovações e capacidades no cenário internacional A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança...

Para celebrar os feitos dos mais de 25 mil homens e mulheres brasileiros que lutaram na 2ª Guerra Mundial, o...

Desde 1º de janeiro de 2023, o dr. Artur José Dian ocupa o cargo de Delegado-Geral da Polícia Civil do...

Comentários

DISPONÍVEL