Bateria Antiaérea Pára-quedista realiza Operação Santa Cruz 2016

Imagem 1-Op.StaCruz2016
A operação foi concebida num quadro tático de operações aeroterrestres para a conquista e manutenção de uma Cabeça de Ponte Aérea. (Imagem: 21ª Bia AAAe Pqdt)

A 21ª Bateria de Artilharia Antiaérea Pára-quedista (21ª Bia AAAe Pqdt), realizou, na semana passada, a Operação Escudo I (denominada Operação Santa Cruz 2016). A operação consistiu no adestramento de todos os sistemas da artilharia antiaérea (sistema de armas, de controle e alerta, de comunicações e logístico) e serviu como preparação da unidade para o cumprimento de sua missão durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

A Operação Santa Cruz 2016 foi concebida num quadro tático de operações aeroterrestres para a conquista e a manutenção de uma Cabeça de Ponte Aérea (Base Aérea de Santa Cruz) por uma Força-Tarefa do Batalhão de Infantaria Pára-quedista, em território inimigo, para a condução de operações militares subsequentes.

A operação contou com sobrevoos diurnos e noturnos de aviões de combate  A-1, do 1º/16º GAv, Esquadrão Adelphi, e F-5M, do 1º GAvCa, todos da Base Aérea de Santa Cruz, dando maior realismo e dinamismo ao exercício, elevando o nível de dificuldade do exercício e cooperando com o adestramento do 21ª Bia AAAe Pqdt.

Imagem 3-Op.StaCruz2016
Para melhorar o realismo dos exercícios, a Operação Santa Cruz 2016 contou participação de aviões de combate da FAB (Imagem: 21ª Bia AAAe Pqdt)

A 21ª Bia AAAe Pqdt também contou com o apoio do 1º Grupo de Artilharia Antiaérea (1º GAAAe) na cessão do Centro de Operações Antiaéreas Eletrônico e os Palm Tops das Unidades de Tiro, equipamentos modernos que fazem parte do Projeto Estratégico do Exército – Defesa Antiaérea, já adquiridos pelo 1º GAAAe, aumentando velocidade e sigilo eletrônico das missões antiaéreas, contribuindo significativamente para o aumento das capacidades operacionais da Bateria.

O exercício foi acompanhado por um oficial da Seção de Doutrina da Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea, certificando o trabalho realizado e colaborando com a evolução e a consolidação da doutrina de emprego da Artilharia Antiaérea em operações aeroterrestres.

Ivan Plavetz

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

Variante com uma nova torre é  apresentada na feira de Paris A BAE Systems está apresentando o CV90MkIV com uma...

Na quarta-feira (12), o mercado de defesa se agitou com a notícia divulgada pelo portal britânico Janes de que o...

A AVIBRAS Indústria Aeroespacial S/A, que em tempos passados foi considerada uma das maiores empresas  de defesa do mundo, mas...

Empresas brasileiras destacam inovações e capacidades no cenário internacional A Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança...

Comentários

DISPONÍVEL