Almirante dos Estados Unidos elogia exercício conjunto com a FAB

Imagem 1 UNITAS2015
(Imagem: Agência Força Aérea)

Com experiência de comandar o destróier (contratorpedeiro) USS Ross da Marinha dos Estados Unidos (US Navy), e de atuar a bordo do navio-aeródromo nuclear USS George Washington durante a Guerra do Afeganistão, a rear-admiral (contra-almirante) Lisa Franchetti elogiou a participação da Força Aérea Brasileira (FAB) no exercício UNITAS 2015. “Para a Ala Aérea [embarcada no navio-aeródromo norte-americano] é importante ter esse tipo de experiência e intercâmbio tanto quanto possível e onde estivermos”, afirmou a oficial-general.

A militar da US Navy está à frente da frota composta pelo USS George Washington, por mais quatro navios e também pela Ala Aérea formada por aviões de combate F/A-18E/F Super Hornet, EA-18G Growler e F/A-18C/D Hornet, além de aviões-radar E-2 Hawkeye, aeronaves de transporte C-2 Greyhound e helicópteros HH-60 e SH-60 Sea Hawk. Entre os exercícios realizados figuraram o combate aéreo simulado contra caças da FAB e atividades aeronavais como guerra anti-submarinos.

151114-N-WO404-265 ATLANTIC OCEAN (Nov. 14, 2015) Rear Adm. Lisa Franchetti, commander of Carrier Strike Group Nine, answers questions during a press conference for UNITAS 2015. UNITAS 2015, the U.S. Navy's longest running annual multinational maritime exercise, is part of the Southern Seas deployment planned by U.S. Naval Forces Southern Command/U.S. 4th Fleet. This 56th iteration of UNITAS is conducted in two phases: UNITAS PACIFIC, hosted by Chile in October 2015 and UNITAS Atlantic hosted by Brazil in November. (U.S. Navy photo by Mass Communication Specialist 3rd Class Jonathan Aaron Nelson/Released)
Contra-almirante Lisa Franchetti comanda frota dos Estados Unidos no exercício UNITAS 2015 (Imagem US Navy)

Já o comandante do USS George Washington, captain Timothy Kuehhas, também ressaltou a integração com as forças armadas de países amigos. “A coordenação é sempre o maior desafio e o maior resultado”, explicou. O militar também se disse honrado pela oportunidade de estar à frente do navio-aeródromo. “Comandar um navio com o nome George Washington é um prazer na minha vida, porque foi esse presidente norte-americano que  iniciou a US Navy“, explicou o oficial.

Ivan Plavetz

Artigos Relacionados

Formulação Conceitual dos Meios Blindados do Exército Brasileiro ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO-PORTARIA Nº 162-EME, DE 12 DE JUNHO DE 2019 Documento...

Pela primeira vez no Brasil, foi realizado o reabastecimento em voo (REVO) por helicóptero, foi a chamada Operação MANGA. Na...

O Comando Militar do Nordeste (CMNE), nesta quinta-feira, dia 16 de maio, enviou um Hospital de Campanha (H Cmp) para...

Empresa do Grupo Embraer participa de debate sobre soluções tecnológicas que estão moldando o futuro dos grandes centros urbanos As...

Hoje, dia 16 de maio, às 18:00hs, será lançado o livro “Segurança Escolar – Prevenção multidisciplinar escolar contra-ataques ativos”, de...

Um drone do Exército Brasileiro (EB) localizou, no fim da tarde dessa terça-feira, dia 14, moradores pedindo ajuda no topo...

Comentários

DISPONÍVEL