Ágata 11: FAB intensifica vigilância nas regiões de fronteira

0
1649
(Imagem: Agência Força Aérea.)

Mais de 4.400 militares da Força Aérea Brasileira (FAB) participam da 11ª edição da Operação Ágata iniciada na última semana.

Cabe à FAB garantir a soberania do espaço aéreo nacional e prover apoio às agências participantes. “O papel da Força Aérea nesse período de operação é o de intensificar a vigilância do espaço aéreo na região de fronteira com o objetivo de reprimir crimes transfronteiriços, como o tráfico de drogas, armas e munições, bem como apoiar a participação das agências governamentais no cumprimento de suas missões”, explicou o major-brigadeiro do ar Mário Luís da Silva Jordão, comandante do Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA).

O COMDABRA é a unidade militar da FAB responsável por acionar os meios aéreos e os militares para atender às necessidades da operação em qualquer ponto do País. A adoção de um processo de emprego centralizado é possível graças às características inerentes ao poder aéreo como flexibilidade (capacidade de uma aeronave realizar variadas missões) e mobilidade (facilidade e velocidade de deslocar um meio aéreo para outro ponto).

FAB intensifica vigilância do espaço aéreo na região de fronteira durante a Ágata 11. (Imagem: Agência Força Aérea)

Através do COMDABRA, os meios dispostos podem ser utilizados em proveito de qualquer um dos três Comandos de Área de Operação: Comandos Militares da Amazônia (CMA), sediado em Manaus (AM); do Oeste (CMO), localizado em Campo Grande (MS); e do Sul (CMS), em Porto Alegre (RS).

Este modelo já foi empregado com sucesso durante as últimas operações Ágata e nos grandes eventos ocorridos no Brasil recentemente, e também será empregado durante os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos no segundo semestre.

Para esta edição da Ágata, a FAB conta com cerca de 24 aeronaves, distribuídas nas três áreas de atuação. Estão sendo realizadas missões de Transporte Aéreo Logístico, Defesa Aérea, Vigilância e Controle do Espaço Aéreo, Polícia da Aeronáutica e Segurança das Instalações, entre outras.

Imagem 3 Ágata11-FAB-EB
Polícia da Aeronáutica aborda aeronave suspeita. (Imagem: Agência Força Aérea)

Além da participação prevista para a operação, durante esses dias a FAB procura intensificar as ações de Defesa Aérea e de Busca e Salvamento na região de fronteira como forma de potencializar as ações.

Ivan Plavetz