Versão modernizada do Twin Otter desembarca no Brasil

0
3052
(Imagem: Ivan Plavetz)

O Twin Otter Series 400, versão modernizada pela canadense Viking Air do bem-sucedido turboélice DHC-6 projetado e produzido pela legendária De Havilland Canada na década de 1960, foi apresentado à imprensa brasileira no consulado Geral do Canadá em São Paulo.

Representada no Brasil com exclusividade desde abril de 2016 pela International Jet Traders (IJT), a Viking Air planeja preencher lacunas existentes no mercado brasileiro correspondentes a aeronaves de sua classe (transporte utilitário).

A parceria Viking/IJT também está de olho no segmento militar e de segurança pública. O Exército Brasileiro, por exemplo, confirmou em seu Plano Estratégico 2016-2019 (PEEx 2016-2019-2ª edição- 2015), divulgado em dezembro de 2015, que a partir de 2018 será iniciado o processo de adoção de aeronaves de asas fixas e prevê a criação de Unidade Aérea de Asas Fixas entre as providências de “Mobilidade Estratégica”. O foco dessa medida está na optimização da capacidade da Força em interligar e atender necessidades de apoio aéreo das suas unidades terrestres notadamente daquelas localizadas em regiões de difícil acesso, onde as condições de pouso e decolagem são mais difíceis. De acordo com a IJT, o Twin Otter Series 400 possui um perfil operacional que atende aos requisitos para cumprir essa tarefa.

Stéphane Larue,  cônsul-geral do Canadá, abre a conferencia de imprensa para apresentação do Twin Otter Series 400 (Imagem: Ivan Plavetz)
Stéphane Larue, cônsul-geral do Canadá, abre a conferencia de imprensa para apresentação do Twin Otter Series 400 (Imagem: Ivan Plavetz)

O processo de certificação de tipo do modelo no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) deverá ser concluído até o final de 2016, e a partir daí serão selecionadas e certificadas oficinas brasileiras que prestarão serviços de apoio operacional e manutenção.

A expectativa dos executivos da IJT é de que sejam comercializados no Brasil ao longo dos próximos cinco anos entre vinte e trinta unidades Twin Otter Series 400, levando-se em conta apenas o mercado civil. Considerando os próximos 10 anos, a IJT projeta potencial de venda para 100 aeronaves, incluindo também a área de defesa e segurança. O preço unitário varia entre U$ 5,5 milhões e U$ 6,95 milhões dependendo da variante e dos acessórios, como por exemplo, os flutuadores.

De acordo com a IJT, com a implantação dos Twin Otter o usuário contará com acompanhamento e apoio operacional iniciais, treinamento de pilotos e mecânicos, translado das aeronaves, suporte técnico de campo, garantias de suporte, serviços, sistemas, aviônicos e motores, orientação sobre a logística de peças de acordo as exigências operacionais, técnicos da Viking para acompanhar as operações e publicações técnicas. Pertencente ao mesmo grupo da Viking, treinamentos em simulador Nível D da Pacific Sky são realizados no Canada.

Que avião é esse?

Twin Otter Series 400 (Imagem: Ivan Plavetz)
Twin Otter Series 400 (Imagem: Ivan Plavetz)

O DHC-6 Twin Otter é uma aeronave quase que desconhecida no Brasil, pois o EMB-110 Bandeirante da Embraer, que pertence à mesma classe do avião canadense, dominou o mercado civil e militar.

Trata-se de um bimotor turboélice de asa alta construído totalmente com metais leves, dotado de fuselagem não pressurizada e apoiado em terra por um trem de aterrissagem não retrátil robusto e flexível, equipado com rodas de grande diâmetro.

O modelo voltou a ser fabricado em 2007 pela Viking Air. Baseado no Series 300, o projeto do Twin Otter Series 400 foi revisto e modernizado. O primeiro foi entregue em 2010, e a Viking produziu, até o momento, mais de 100 unidades do modelo.

Ao redor de 600 unidades (incluindo exemplares fabricados antes de 1988, ano que a de Havilland cessou a produção) estão operando em missões militares, governamentais e civis empregados por 128 usuários localizados em 57 países. Equipados com flutuadores, o Twin Otter pode operar em águas com profundidades de apenas 90 centímetros e suportar ondulações superficiais de 90 centímetros.

(Imagem: Ivan Plavetz)
(Imagem: Ivan Plavetz)

A aeronave pode desempenhar missões em ambiente gelados como a Antártica, quentes como os desertos do norte da África, em regiões altas como o Himalaia ou os Andes, e também sobre a água como acontece nos arquipélagos do Oceano Índico. Uma das missões mais recordadas cumpridas por um Twin Otter consistiu no resgate de dois cientistas da Estação Polar Amundsen-Scott, localizada a 2.400 Km da Estação de Pesquisa de Rothera, no Polo Sul, cujo voo de mais de 9 horas foi realizado em condições de extremo frio (abaixo dos 60 graus Celsius negativos) e  escuridão do inverno da Antártica.

A propulsão turboélice do Twin Otter Series 400 é composta por um par de motores Pratt & Whitney PT6A-34 de 620 shp cada, que giram hélices tripás metálicas Hartzell HC-B3TN-3D de passo variável. A aviônica digital integrada Honneywell Primus Apex disponibiliza para os pilotos soluções de última geração em navegação (incluindo TCAS, ADS-B e radar meteorológico), comunicações e controle de parâmetros do avião.

Medindo 5,61 metros de comprimento, 1,50 metros de altura e 1,75 metros de largura, a cabine pode ser reconfigurada, permitindo instalação de até 19 assentos para passageiros ou duas macas e oito assentos para MEDEVAC.

Uma porta existente no lado esquerdo da cabine de carga/passageiros (instalada em duas formas construtivas opcionais), bem como um par delas para acesso rápido à cabine de pilotagem, permitem mobilidade humana e de carga nas operações de solo, incluindo lançamento de paraquedistas. A equipe de paraquedistas dedicadas às demonstrações e competições do Exército dos Estados Unidos, conhecida também como Golden Knights, escolheu o Twin Otter como plataforma de salto.

(Imagem: Ivan Plavetz)
(Imagem: Ivan Plavetz)

Conforme a Viking Air, o Twin Otter Series 400 é capaz de voar 740 Km carregando carga útil de 1.375 Kg sem auxílio de tanque externo de combustível. A velocidade de cruzeiro ao nível do mar é de 315 Km/h.

Ivan Plavetz