Uma “zip gun” calibre 12… no Rio

0
4102

 

12ga zip_01As chamadas “zip guns” ou “pen guns” não são nenhuma novidade, havendo surgido em razoáveis quantidades, em âmbito mundial, desde o início do Século 20. Pela sua extrema simplicidade mecânica (um tubo-cano, onde se coloca um cartucho, que se encaixa na frente de um tubo com mola, ferrolho e percutor), costuma ser habitual opção de fabricantes clandestinos, mais frequentemente, em calibre .22LR. ou .22 Short. O uso desses cartuchos vem das pressões relativamente baixas geradas pela munição, permitindo que materiais mais simples sejam usados no processo de fabricação e, adicionalmente, facilitando sua empunhadura no tiro. Desnecessário mencionar que a real eficácia (alcance + precisão) dessas pequenas armas é bem limitada.

 

É claro que também já foram fabricadas, mesmo por empresas estabelecidas, zip guns em calibres maiores, como .32 S&W e .380 ACP, assim como armas improvisadas (disfarçadas como bengalas ou muletas, por exemplo) utilizando cartuchos de espingardas. Mas, armas desse tipo em calibre 12 não são muito comuns, chamando a atenção, portanto, um exemplar apreendido no Rio de Janeiro em agosto de 2014 por uma equipe do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais, da PMERJ) operando na comunidade da Vila Aliança. Apesar do tempo decorrido desde a apreensão, este material ainda não havia sido divulgado ostensivamente.

12ga zip_05
O conjunto montado para o tiro. Observar que a alavanca de manejo (ainda não recuada para pressionar a mola) presa ao percutor é um simples parafuso, enquanto que os sulcos longitudinais usinados na empunhadura pretendem dar certa firmeza à mão que fará o disparo. (Imagem: Robert Draiks)

Aparentemente, a zip gun carioca não chegou a ser usada pelos criminosos. Todavia, pela configuração geral do projeto e pela munição a ela destinada, certamente seria uma experiência extremamente dolorosa… para o usuário.

 

Ronaldo Olive