Troca de Comando nas Forças Armadas

0
2443
Novos-comandantes-Forças-Armadas-Villas-Boas-Leal-Ferreira-Rossatto-fotos-via-G1
Os três novos comandantes das Forças Armadas brasileiras. (Imagens: Exército, Marinha e Força Aérea)

A presidente Dilma Rousseff anunciou na noite desta quarta-feira (7) a troca nos comandos da Marinha, Exército e Força Aérea. Esta é a primeira vez em oito anos que as Forças Armadas brasileiras terão novos comandantes. As nomeações anunciadas nesta quarta-feira foram negociadas pelo ministro da Defesa, Jaques Wagner, com Dilma durante a semana. O ministro se reuniu com a presidente na noite da última terça-feira (6) e por três vezes no dia seguinte. Os decretos de nomeação dos novos comandantes foram assinados por Dilma e serão publicados na edição de hoje do Diário Oficial da União (DOU).

Os novos comandantes

O almirante-de-esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, que comanda atualmente a Escola Superior de Guerra, assumirá a Marinha no lugar do almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto. Leal entrou na Marinha em 1971, pela Escola Naval, e exerceu ao longo dos últimos 43 anos cargos como o de chefe do Estado-Maior da Esquadra, comandante do 7º Distrito Naval e diretor de Portos e Costas.

O general-de-exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas assumirá o comando do Exército no lugar do general-de-exército Enzo Martins Peri. Villas Bôas foi comandante militar da Amazônia e atualmente chefiava o Comando de Operações Terrestres (COTER), coordenando todas as operações militares em território nacional.

Na Força Aérea, foi nomeado o brigadeiro-do-ar Nivaldo Luiz Rossato. Ele assume a força no lugar do brigadeiro-do-ar Juniti Saito. Rossato comandou o Estado-Maior da FAB e tem no seu currículo mais de 3,5 mil horas de voo. Ingressou na Força Aérea Brasileira em março de 1969 e ao longo da carreira chefiou a Direção de Organização e o Comando-Geral de Operações Aéreas, além do Departamento de Ensino da Aeronáutica.

Os três comandantes que deixam seus cargos foram nomeados em 2007 pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foram mantidos no primeiro governo de Dilma Rousseff.

Roberto Caiafa