Traficantes atacam Arsenal de Guerra do Rio de Janeiro: dois bandidos mortos e um capturado.

0
35637
Além dos dois corpos e um elemento ferido preso e sem identificação (não divulgada até o momento), o Exército Brasileiro apreendeu cinco fuzis, sendo dois M-4 Commando calibre 5,56 mm, um M-16/AR-15 regulamentar em calibre 5,56 mm, e dois modernos AR-10 em calibre 7,62 mm (do mesmo modelo adotado pelo BOPE/PMERJ).

A Assessoria de Comunicação Social do Estado-Maior Conjunto das Operações em Apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública (PMERJ/Exército) informa que por volta das 4h 20min da madrugada do dia 17 para 18 de novembro, quatro veículos suspeitos, transportando bandidos de uma facção criminosa, bateram de frente com o Blindado “Missionário”, comandado pelo sub-comandante da UPP Caju (PMERJ).

Tal ação, consequência dos confrontos entre facções criminosas pela disputa de espaço no bairro do Caju, que acontecem naquela localidade desde a quinta-feira (16/11), teve como desfecho um combate com mortos e feridos.

O blindado realizava patrulhamento no entorno da localidade de São Sebastião-Caju quando interceptou um comboio de carros cheios de marginais (conhecido como “bonde”); três veículos empreenderam fuga em direção a Avenida Brasil em alta velocidade, e o quarto e último carro foi fechado pelo blindado e teve sua rota de fuga bloqueada.

O veículo regressou para o interior da Comunidade do Caju, indo na direção de um aquartelamento do Exército Brasileiro com o blindado empreendendo perseguição. Devido á baixa velocidade do veículo policial, este perdeu contato visual com o carro em fuga. No entanto, os marginais, ao se depararem com um PCTRAN, tentaram furar a bala o bloqueio montado naquela localidade, justamente a entrada do Arsenal de Guerra do Rio de Janeiro. Uma decisão fatal.

A tropa deu o comando de parada, sendo ignorada pelo veiculo suspeito que ainda abriu fogo na direção dos militares. Não restou alternativa senão responder, ocorrendo assim um intenso combate entre a guarnição do Exército, comandada pelo capitão Douglas Oliveira, do 1°Batalhão de Infantaria Motorizada, e os meliantes. O resultado, dois bandidos mortos, um ferido capturado. Nenhuma baixa do lado do Exército.

Além dos dois corpos e um elemento ferido preso e sem identificação (não divulgada até o momento), o Exército Brasileiro apreendeu cinco fuzis, sendo dois M-4 Commando calibre 5,56 mm, um M-16/AR-15 regulamentar em calibre 5,56 mm, e dois modernos AR-10 em calibre 7,62 mm (do mesmo modelo adotado pelo BOPE/PMERJ).

Também foram apreendidas duas pistolas, seis granadas de fabricação caseira, quatro rádios transmissores, 32 carregadores de fuzil municiados (mais de 600 tiros), cinco carregadores de pistola e farta munição transportada em sacos plásticos dentro de mochilas.

A área do combate foi isolada e a perícia foi conduzida pela Polícia do Exército e Delegacia de Polícia Judiciária Militar.

O reforço à guarda do Arsenal de Guerra do Rio de Janeiro foi estabelecido na última quinta-feira em função da ocorrência de confrontos entre facções criminosas pela disputa de espaço no bairro do Caju e da possibilidade de ações desses grupos para obtenção de armas para o enfrentamento.

O Serviço de Inteligência a disposição do Comando Militar do Leste monitora de perto esses enfrentamentos e fornece apoio decisório as diretrizes para ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) como a recente ocupação da Comunidade da Rocinha, que teve grande repercussão na mídia brasileira e mundial.

Estão sendo empregados cerca de 100 militares na Garantia da Lei e da Ordem no entorno do Arsenal de Guerra do Rio de Janeiro, e o reforço destacado recebeu armamento pesado e capacidade anticarro, garantindo qualquer eventualidade em caso de um novo confronto.