Thales Alenia Space transfere tecnologia para a indústria brasileira espacial.

0
1189
  • Thales Alenia Space (TAS), uma joint venture entre a Thales (67%) e Leonardo (33%), e a AEB assinam contrato para transferência de tecnologia que capacita o Brasil a projetar e desenvolver instrumentos ópticos para satélites de observação da terra.
  • Parceria da Thales Alenia Space com a Agência Espacial Brasileira (AEB) vai garantir a soberania do Brasil no desenvolvimento de instrumentos ópticos para satélites de observação da terra
  • A Transferência de Tecnologia (ToT) vai permitir ao Brasil se tornar um dos principais contribuintes nos mercados espaciais

A assinatura do contrato é parte do programa SGDC – Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas – do Governo Federal, que tem como objetivo prover a cobertura de serviços de internet a 100% do território nacional e fornecer um meio seguro e soberano para as comunicações estratégicas do governo brasileiro.

Lançado com sucesso em 2017, o satélite SGDC foi desenvolvido pela Thales Alenia Space e hoje já conecta, por meio da banda Ka, mais de 7.000 escolas públicas, levando internet até as regiões mais remotas do país.

Concepção artística do SGDC. Trata-se de um engenho espacial que custou R$ 2,1 bilhões em recursos federais. O SGDC pesa 5,7 toneladas, sua órbita está a uma altitude de 36.000 km (velocidade – 10.000 km/h) e tem vida útil estimada em 18 anos. Foto: reprodução Internet/Visiona

A Thales está comprometida com a transferência de tecnologia para o país desde o início do programa SGDC, em 2013. Cinco empresas e mais de 40 engenheiros brasileiros já foram treinados, na França, em diferentes sistemas de tecnologia espacial, supervisionados pela equipe do programa da Thales Alenia Space.

Em 2015, a empresa inaugurou em São José dos Campos o seu Centro de Tecnologia Espacial, onde faz a gestão dos programas de transferência de tecnologia.

A transferência de tecnologia ampliará a capacidade nacional no desenvolvimento e fabricação de sensores ópticos, além de permitir a abertura de mercados internacionais para o Brasil no seleto grupo de produtores de câmeras de alta resolução para satélites.

Em complemento, a empresa receptora da tecnologia, uma vez capacitada, poderá fazer parte da cadeia de suprimentos da TAS – Thales Alenia Space.

“Estamos muito satisfeitos com este novo contrato para transferência de tecnologia”, disse Jean Horanieh, diretor de Cooperação Industrial e Parcerias da Thales Alenia Space. “Este último acordo vai expandir a capacidade do Brasil de desenvolver e fabricar sensores ópticos e abrir os mercados internacionais para câmeras de satélite de alta resolução do Brasil”.

“Estamos muito orgulhosos com mais esta parceria entre o Brasil e a França, através da AEB e da Thales Alenia Space”, afirma Ruben Lazo, Vice-Presidente da Thales América Latina.

(Imagem: Agência Força Aérea)

“Faz parte do DNA da Thales poder contribuir com o desenvolvimento de tecnologia local, apoiando o país nos seus grandes desafios, e isso muito nos honra”.

* Thales Alenia Space assinou o contrato do SGDC com a Visiona (joint venture entre a Embraer e a Telebras) no final de 2013. Este programa desempenha um papel fundamental no plano de desenvolvimento da Agência Espacial Brasileira/Telebras, além de abordar o plano estratégico do Ministério da Defesa.

(Imagem: MCTI)