SPECTRO Detecção e reconhecimento “Além do Alcance Visual”

0
881

Os recentes avanços tecnológicos estão criando a “quinta geração” em soluções de defesa,  com foco no domínio dos sistemas de informação baseados em múltiplos sensores. O campo de batalha moderno, em cenários operacionais aéreos, marítimos ou terrestres exige sistemas eletro-ópticos de longo alcance, precisos, com alta definição e fusão de imagens, capacidade de operação em qualquer condição meteorológica e recursos de apoio à decisão através de aplicativos de análise de imagens em tempo real.

As complexas missões de reconhecimento, vigilância, inteligência e aquisição de alvos (ISTAR) passaram a ser parte fundamental de qualquer operação militar, e os sistemas de detecção, reconhecimento e identifi cação (DRI) são respostas diretas aos eventos atuais e tendências de combate, exigindo soluções que possam gerenciar informações complexas  tempo real.

Desenvolvido pela ELOP, o sistema eletro-óptico de longo alcance – SPECTRO, apresenta avanços tecnológicos singulares na sua categoria. É constituído de uma única abertura  ótica que integra seus sensores de alta resolução, suas capacidades de fusão de imagem e algoritmos especializados para processamento de imagem.

Trata-se de uma solução integrada, com telescópio de abertura padrão de 15’’ multiespectral (VIS/ NIR / SWIR / MWIR), apontador laser de longo alcance, câmera de imageamento térmico com zoom contínuo, câmera na faixa do visível (VIS) de alta sensibilidade de luz e zoom contínuo, iluminador laser com rastreamento de facho, designador laser ou telêmetro laser, gravador digital de vídeo (DVR), mapeamento digital, processamento de vídeo e GPS.

Instalado numa aeronave Piper PA-42 Cheyenne, o SPECTRO foi pela primeira vez demonstrado à imprensa em condições reais de operação. A partir do aeródromo regional de Sde Dov, em Tel Aviv, voamos para o norte do país onde foi possível conhecer as capacidades de sensoriamento visual a longa distância, quando foi executado um circuito de tarefas simulando diferentes tipos de missões de reconhecimento “além do alcance visual”.

Neste sentido, foi possível atestar que o SPECTRO possui melhor capacidade de detecção e reconhecimento de imagem em comparação com os diferentes sensores atualmente comercializados, sendo possível obter imagens giro-estabilizadas em alta resolução de pistas de pouso militares, aeroportos, veículos e aviões em movimento, à distâncias superiores a uma centena de quilômetros, colocando a plataforma fora do envelope operacional da maioria dos sistemas de defesa antiaérea da atualidade.

Graças a capacidade de fusão de imagens a partir dos diferentes sensores foi possível “ver” através da neblina, e os aplicativos instalados permitiam reconhecer os alvos, delinear formas de estruturas, embarcações, além de possuir as informações de distância e o georreferenciamento exato do alvo. Essas informações podem ser retransmitidas para unidades em terra, ar e mar de acordo com a necessidade da missão.

Um detalhe interessante da demonstração foi a capacidade de detectar, reconhecer, acompanhar e engajar alvos móveis e que no decorrer do acompanhamento ficaram ocultos por outros veículos, vegetação ou relevo, sendo que recurso de “target-tracking” do SPECTRO não perdia o acompanhamento do alvo, retomando tão logo ele retornava ao visual.

Este recurso é fundamental nas missões de vigilância, principalmente aquelas executadas por helicópteros policiais. A capacidade de detecção e reconhecimento diurna e noturna em locais com nebulosidade também foi destacada, sobretudo no apoio às missões de busca e salvamento (SAR), ou ISTAR, sendo que em missões do tipo, onde haja condições meteorológicas adversas, ela não precisaria ser cancelada ou postergada.

A estrutura do SPECTRO é rígida, com amortecimento de vibrações e quatro eixos, permitindo alto nível de estabilização da linha de visão. A lista de recursos da carga útil inclui rastreador de vídeo, visão precisa, unidade metrológica inercial acoplada, mapa de movimento incorporado, conjunto de cálculos geodésicos e fusão de imagens.

É a combinação de várias câmeras em uma, permitindo que o SPECTRO melhore significativamente o desempenho sem aumentar tamanho e peso. A implementação de sensores e lasers totalmente digitais, com altíssimo nível de estabilização, fornece aos usuários desempenho em condições climáticas adversas.

O design modular permite que os usuários selecionem a configuração de câmeras e sensores que mais se adequam às suas necessidades, tanto em termos de desempenho quanto de custo. O sistema pode ser instalado em uma variedade de plataformas, incluindo aeronaves de asas rotativas e de asas fixas, aeronaves remotamente pilotadas, veículos de reconhecimento em missões de patrulhamento de fronteira e embarcações em operações de interdição marítima (MIO). O telescópio catadióptrico frontal em estrutura metálica mantém o desempenho ótico em uma ampla gama de condições ambientais, umidade e temperatura.

O projeto com abertura comum facilita o desempenho. A detecção, reconhecimento e identificação (DRI) é superior em VIS (visible light) e SWIR (short-wave infrared), em comparação com as cargas úteis configuradas convencionalmente. A calibração espectral e correção de cores ampliam o alcance efetivo da imagem colorida. Um sensor CMOS FPA avançado aumenta o desempenho com pouca luz. A banda SWIR fornece maior penetração atmosférica, bem como capacidade de ver em áreas distantes, devido à detecção de pulso assíncrona. A banda MWIR (middle-wave infrared) tem boa nitidez em todo o campo de visão e (com Full HD FPA) oferece uma quantidade de detalhes que excede em muito um FLIR equipado com VGA (figura 2).

Uma ampla variedade de interfaces de comando e controle permite a integração simples do SPECTRO com vários outros sistemas a bordo, como computadores de missão, links de dados e sistemas de rastreamento.O SPECTRO pode ser ideal para o A-29 Super Tucano, ampliando as capacidades de acompanhamento automático de alvos aéreos durante interceptação de tráfegos ilícitos, além de permitir a detecção, reconhecimento, aquisição e designação de alvos para ataques de precisão stand off, ou seja, fora do alcance de defesa do inimigo, fazendo uso de armamento inteligente.