Sistema de Defesa Terra-Ar S-400 Triunfo para a Turquia.

0
2550
O presidente turco, Tayyip Erdogan. (REUTERS / Alexander Zemlianichenko)
  • Compra de material russo pela Turquia gera ponto de tensão com aliança ocidental.
  • Governo anunciou meses atrás que um acordo foi assinado com a Rostec, suscitando preocupações de alguns dos aliados da Turquia na OTAN.
  • Sergei Chemezov, chefe da corporação Rostec, disse que a Turquia compraria quatro baterias e que as primeiras entregas começariam em março de 2020, de acordo com Kommersant.
Um comissionamento típico de uma bateria SAM S-400, com seu lançador e seus radares.

A Turquia finalizou um acordo com Moscou para a compra do sistema anti-míssil e antiaéreo S-400 da Rússia, anunciaram autoridades de defesa turcas na última sexta-feira, apesar das preocupações expressas por alguns dos seus aliados, países membros da OTAN, nos últimos meses.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou em setembro que a Turquia havia assinado um acordo para comprar o sistema russo e efetuou um pagamento inicial, provocando preocupações de alguns dos aliados turcos da OTAN de que o sistema S-400 não seja compatível com os sistemas de armas da aliança.

A simples presença de baterias SAM S-400 na Criméia desestabilizou a luta no ar em favor dos russos.

A Agência das Indústrias da Defesa disse que o sistema russo seria operado sob o controle total dos militares turcos e “de forma independente, sem links para nenhum elemento externo”.”A operação, gerenciamento e sistemas do sistema que reconhecem amigos e inimigos serão realizados através de meios nacionais”.

O anúncio da Turquia

A mídia turca informou na sexta-feira que o país compraria quatro baterias de mísseis terra-ar S-400 no valor de US $ 2,5 bilhões.

Sergei Chemezov, chefe da corporação Rostec, controlada pelo estado da Rússia, também disse ao jornal de negócios Kommersant em uma entrevista publicada na quarta-feira que o contrato foi avaliado em US $ 2,5 bilhões e que um empréstimo russo representaria 55% da soma.

O S-400, quando operacional nas Forças Armadas Peruanas, deverá causar movimentos na balança estratégica regional de sistemas de defesa aérea e antiaérea com essa capacidade.

O acordo, que torna a Turquia o primeiro membro da aliança militar ocidental a possuir o sistema de defesa aérea mais avançado da Rússia, vem em meio ao fortalecimento dos laços entre a Turquia e a Rússia e a deterioração das relações de Ancara com os Estados Unidos e outros países ocidentais

(Obs do autor: a derrubada de um SU-24 Fencer russo pela Aviação de Caça turca, ocorrido em 2015, estaria superado?).

 

A entrega da primeira bateria foi programada para o primeiro trimestre de 2020, segundo o comunicado.

 

Os dois países na sexta-feira também finalizaram um acordo financeiro para o projeto, sob o qual parte do custo seria financiado através de um empréstimo russo, disse o órgão das Indústrias de Defesa, sem revelar detalhes do negócio. “É o primeiro país da OTAN a comprar nosso sistema S-400 mais avançado”, disse ele.

O motivo da discrepância sobre o número de baterias que a Rússia forneceria não foi imediatamente esclarecido. O setor das Indústrias de Defesa não costuma divulgar o custo do projeto ou outros detalhes, citando “princípios de sigilo” acordados pelos dois países.

A diplomacia do S-400

O S-400 tem uma autonomia de até 400 quilômetros e pode envolver múltiplos alvos simultaneamente. É capaz de derrubar ogivas de mísseis balísticos junto com aeronaves e mísseis de cruzeiro.

A Rússia desdobrou o S-400 para suas bases na Síria para dissuadir a Turquia quando as duas nações estavam à beira do conflito depois que um avião turco derrubou um bombardeiro russo na fronteira da Síria em novembro de 2015.

Baterias S-400 russas mobilizadas na Criméia, 2015.