SGDC: Centro de operações da Telebras recebe certificação internacional

0
1113
(Imagem: MCTI)

O projeto de infraestrutura crítica do Centro de Operações Espaciais Principal (Cope–P), localizado em Brasília, recebeu a certificação Tier IV, do  Uptime Institute, de Seattle, nos Estados Unidos. O Cope-P abrigará, ao lado de seu secundário (Cope-S), no Rio de Janeiro, os data centers responsáveis pela operação do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

Desenvolvido pela Telebras, o projeto é o primeiro de uma empresa pública brasileira a ser certificado nesse nível. No país, até o momento, apenas um data center privado conseguiu o selo. O sistema de classificação Tier representa um método para comparar infraestrutura e desempenho.

Ao longo do processo, a Telebras participou de reuniões internacionais e ajustou seu projeto com ênfase em sistemas de automação e resposta autônoma a falhas, nos quais diversos cenários foram colocados à prova para que se chegasse a uma configuração de infraestrutura de operação do Cope-P.

O esforço envolveu profissionais dos ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), representado pela Telebras, e da Defesa, que buscaram soluções técnicas para alcançar o mais alto nível de segurança em data centers, junto com a empresa Fox Engenharia e Consultoria.

Todo o projeto foi desenvolvido em tecnologia de Modelagem de Informações da Construção (BIM, na sigla em inglês), que cria digitalmente modelos precisos de uma obra. Os desenhos virtuais e a compatibilização de suas instalações se realizam em terceira dimensão (3D)  permitindo visualizar a construção em nível real de detalhamento. O BIM oferece suporte nas fases previstas e permite melhor análise e controle na implantação e operação.

Segurança

Estrutura reconhecida pelo  Uptime Institute abriga data center do SGDC (Imagem: Divulgação)
Estrutura reconhecida pelo Uptime Institute abriga data center do SGDC (Imagem: Divulgação)

O SGDC vai levar internet banda larga para todo o país e garantir comunicação segura ao governo brasileiro. Com investimentos de R$ 1,7 bilhão, o projeto resulta de parceria do MCTIC com o Ministério da Defesa. A integração do artefato cabe à joint-venture Visiona Tecnologia Espacial, controlada pela Embraer e pela Telebras nas proporções de 51% e 49% respectivamente. O sistema está em fase final de testes e tem previsão para entrar em operação no ano que vem.

Responsável pela certificação, o Uptime Institute é uma organização internacional de consultoria que busca melhorar desempenho, eficiência e confiabilidade da infraestrutura crítica por meio de inovação, novas tecnologias e resiliência em data centers. O instituto classifica os centros de dados em níveis, por meio de uma norma que define topologia, disponibilidade e operacionalidade.

Data Centers são ambientes complexos, nos quais a edificação, os equipamentos e os componentes devem ser planejados, projetados, equipados e mantidos corretamente, para se alcançar a segurança e a disponibilidade exigidas. Em função da necessidade de operação contínua do sistema, a Telebras e as Forças Armadas estabeleceram como premissa que o Cope-P possua classificação Tier IV e o Cope-S e as estações de acesso, Tier III.

Tier IV é o mais alto nível de disponibilidade e confiabilidade para a infraestrutura de uma instalação de missão crítica.

A classificação é conhecida como fault tolerant (tolerante a falhas). Isso permite imunidade à paralisação de infraestrutura – ou seja, qualquer componente ou sistema pode ser retirado de serviço, seja por defeito, manutenção, reparo ou substituição, sem que haja impacto para os processos de tecnologia da informação dos ambientes críticos do data center. Essa arquitetura possibilita ultrapassar os piores cenários de incidentes técnicos sem nunca interromper a disponibilidade dos servidores.

Ivan Plavetz

SEM COMENTÁRIOS