Segundo Gripen E realiza seu primeiro voo (WAD adotado pela Suécia)

0
1836
A próxima fase do programa de ensaios do Gripen 39-9 é o teste dos sistemas e sensores táticos.
  • A Saab concluiu, com sucesso, o primeiro voo da segunda aeronave de teste do Gripen E.

Designada 39-9, a segunda aeronave decolou para o seu primeiro voo às 9h50, do dia 26 de novembro de 2018. O voo foi operado a partir do aeródromo da Saab em Linköping, na Suécia, com o piloto de ensaios em voo do Gripen na Saab, Robin Nordlander, no controle.

“Algumas pessoas acham que ser piloto de ensaios em voo é o trabalho mais excitante do mundo, e deveria ser. Pilotar o Gripen E não exige tanto esforço, mesmo em um voo inaugural como este. Foi um prazer pilotar o 39-9. O voo foi muito suave. Estou ansioso para voltar a pilotá-lo e em breve colocar os novos sistemas em teste ”, comentou Robin Nordlander.

This picture is brought to You by SAAB AB, and is free of all use. – First Flight 39-9

Durante o voo, que teve 33 minutos de duração, o piloto realizou várias manobras para validar as características de voo e os vários critérios de teste, como o software, o sistema de suporte de vida e o sistema de rádio.

“É muito gratificante ver que a segunda aeronave do Gripen E ingressou no programa de ensaios em voo conforme o planejado. Esta nova aeronave nos permite expandir as atividades experimentais à medida que testamos mais funcionalidades com sistemas embarcados, enquanto aumentamos o ritmo geral de ensaios, agora que estamos com duas aeronaves voando. O programa continua apresentando bons progressos e gerando interesse, pois os nossos clientes e outros estão ansiosos para ver e conhecer mais sobre as capacidades que o Gripen E disponibilizará aos seus pilotos”, diz Jonas Hjelm, vice-presidente sênior e chefe da área de negócios Saab Aeronautics.

Suécia escolhe o WAD para seus Gripen E

A parte frontal (acima) e traseira (abaixo) do WAD 2. composto por duas partes geminadas fundidas, cada uma com capacidade computacional nucleada em um core de 17 processadores.

Cada aspecto das operações depende da consciência situacional, então o Gripen E / F foi projetado com suítes de sensores passivos e ativos de ponta, incluindo o radar Leonardo Raven ES-05 AESA.

Esse sensor possui um swashplate direcionável que oferece visão de 200 ° e ar-para-ar simultâneo (capacidade de ar e ar para a superfície). O Gripen E também é equipado com um sensor IRST (Busca e Rastreamento por Infravermelho) da Leonardo, o Skyward-G,  importante na detecção e direcionamento de aeronaves com seção transversal reduzida do radar (RCS), ou stealth.

As informações coletadas pelos sensores do Gripen são fundidas e apresentadas ao piloto em um Head-Up Display, através de um sistema de exibição montado em capacete e por meio de um sistema de exibição robusto da cabine do piloto, o Wide Area Display.

O Wide Area Display no Gripen E é uma tela panorâmica de alta resolução (19 x 8 in) que permite uma apresentação redundante e inteligente de informações em toda a sua extensão, com capacidade de receber entradas de teclas multitarefas, touchscreen ou interfaces externas.

Usando a fusão de dados, ele fornece ao piloto as informações necessárias e é a principal fonte de informações de voo e missão no cockpit.

WAD 2: protótipo com mecânica e hardware finais para uso em laboratório, simulador e aeronave (no solo), o que permitirá à Saab dar continuidade às atividades de desenvolvimento de software e sistemas até a entrega do primeiro WAD para instalação em uma aeronave para uso operacional em serviço.

A consciência situacional é um fator chave para ganhar o espaço de batalha moderno. Graças à sua avançada colaboração homem-máquina, o Gripen E compartilha e exibe as informações táticas corretas para os pilotos no momento certo.

As informações são apresentadas em ícones centrados em informações facilmente interpretáveis ​​em uma tela sensível ao toque de uma área ampla, permitindo uma apresentação de informações totalmente configurável – e o potencial de reconfiguração na metade da missão – com o pressionar de um botão.

“As faixas de sensores e armas estão ficando mais longas, de modo que o espaço de batalha moderno cobre áreas maiores. Para poder cobrir essa área em sua tela tática, você precisa diminuir o zoom. É um desafio para ambos obter uma visão geral do espaço de batalha e também obter o nível de detalhe que você precisa. A WAD dá a você essa possibilidade ”, diz Jonas Hjelm, chefe da área de negócios da Saab Aeronáutica.

O WAD é desenvolvido pela empresa brasileira AEL Sistemas como parte do Acordo de transferência de tecnologia brasileiro Gripen.

Vista geral da Plataforma de Desenvolvimento Interface Homem Máquina (IHM), com o WAD dominando a configuração do cokpit. Na atualidade, apenas o F-35 JSF apresenta algo similar no mercado.

Utilizando a tecnologia de ponta, o Gripen E foi projetado para atender às demandas de ameaças existentes e futuras e, ao mesmo tempo, atender a requisitos rigorosos de segurança de vôo, confiabilidade, eficiência de treinamento e baixos custos operacionais.

O futuro espaço de batalha será muito exigente. As aeronaves de combate precisarão analisar e manusear grandes volumes de dados, apoiando a capacidade do piloto de selecionar, lançar e guiar armas em perfeita coordenação com outros membros da equipe – bem antes do adversário.

É aqui que o Gripen E domina.

Um diferencial importante para o Gripen E é sua disponibilidade e adaptabilidade. A aeronave possui o menor Custo de Ciclo de Vida e menor pegada logística.