Saab entra no mercado espacial integrando terra, mar e ar.

0
986
Tele-X, primeiro satélite de telecomunicações para os países nórdicos. Foi utilizado para transmitir sinais de TV e rádio analógicos/digitais e para comunicação de dados. O Tele-X tinha três transponders de TV, dois de dados e um sobressalente, todos apontando para os países nórdicos.

A Saab está ampliando seu portfólio de produtos com uma solução que conecta vários de seus produtos a sistemas de combate e gerenciamento de dados de satélite.

A Saab passa a oferecer, também, vigilância espacial baseada em radares de superfície.

A nova solução permitirá a fusão de dados de satélite com outros produtos Saab, incluindo o sistema de vigilância aérea GlobalEye, a família Giraffe de radares de superfície e o sistema de gerenciamento de combate 9LV.

GlobalEye: Alcance Além do Horizonte (OTH)
A “família” de radares Giraffe da Saab.
O 9LV tem origem nas soluções de combate navais da Saab.

Esta nova forma de trabalho permitirá que os usuários comparem dados de uma numerosa variedade de fontes, simultaneamente.

A Saab também está desenvolvendo sua oferta de tecnologia de radares existentes para incluir detritos espaciais e vigilância de mísseis balísticos intercontinentais.

“Com as tensões aumentando ao nosso redor, vemos uma demanda crescente por uma consciência situacional mais abrangente. Estamos agora desenvolvendo uma plataforma que permite a fusão de dados de satélite com dados gerados por produtos atuais da Saab”, diz Anders Carp, vice-presidente sênior e chefe de área de negócios da Saab.

As soluções espaciais podem apoiar a tecnologia militar existente e melhorar a precisão na determinação de tempo e localização. Elas também podem ser usadas para vigilância, alerta antecipado e para identificação de atividades de outros “players” no espaço.

“Análises de como os padrões de movimento mudam com o tempo podem ser usados não apenas para fins militares, mas também com diversos objetivos, como, por exemplo, rastrear movimentos de icebergs no Ártico para impedir que navios colidam com eles, ou proteger sociedades rastreando como os incêndios estão se espalhando ”, completa Carp.

A indústria espacial internacional está se expandindo rapidamente.

Quase 2.000 satélites ativos estão atualmente circulando na Terra e este número deverá aumentar rapidamente nos próximos anos.