Saab apresenta o primeiro protótipo do Gripen NG

0
4357

Aconteceu na sede industrial da Saab em Linköping, Suécia, a aguardada cerimônia de apresentação do primeiro protótipo do avião de combate Gripen NG (ou “E” como o modelo é designado pela fabricante).

O evento contou entre os cerca de 500 convidados, com a presença de executivos da companhia sueca, entre eles, Hakan Buskhe, CEO da Saab, Marcus Wallenberg, presidente do Conselho de Administração da Saab e Ulf Nilsson, chefe da Divisão de Aeronáutica da empresa. Entre as autoridades estiveram presentes  Peter Hultqvist, ministro da Defesa da Suécia, major-general Mats Helgesson, comandante da Força Aérea da Suécia,  tenente-brigadeiro do ar Nivaldo Luiz Rossato, comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), e autoridades de países usuários do Gripen . Além deles, compareceram executivos de empresas participantes do programa e convidados especiais.

Hakan Buskhe disse que países necessitam de defesas aéreas modernas para garantir soberania nacional. Ao mesmo tempo, os custos com relação a outros investimentos precisam ser  razoáveis, avaliou o alto-executivo. Para tanto, a Saab desenvolveu métodos de projeto e produção para o Gripen NG (ou “E”) para aumentar capacidades e diminuir custos, destacou Buskhe.

Primeiro protótipo do Gripen NG (ou E) nas cores da Força Aérea da Suécia. (Imagem: Saab)

De acordo com a Saab, o Gripen NG foi concebido com base no sucesso das versões anteriores. A Saab afirma que a nova aeronave de combate é um moderno avião dotado de um design balanceado, estando ele equipado com tudo que será necessário para cumprir eficientemente missões  dentro da futura arena de combate aéreo.

Com ralação às versões anteriores, o Gripen NG tem significativos avanços na aviônica, performances e na capacidade de combate. Pode transportar mais armas, tem motor mais potente e carrega mais combustível. O novo caça esta equipado com uma altamente integrada e sofisticada suíte de sensores incluindo um moderno radar de varredura eletrônica por matriz ativa (AESA – Active Electronically Scanned Array), um sensor de detecção passiva por infravermelho (IRST – Infra-Red Search and Track) e sistema de guerra eletrônica (EW – Electronic Warfare), bem como sistema de comunicações por enlace de dados (datalink), combinação que fornece ao piloto e forças que operam em cooperação as informações exatas requeridas continuamente.

Para o Brasil, o evento tem um significado especial, pois o País adquiriu 36 exemplares (28 de um assento e oito de dois assentos) do Gripen NG para modernizar e reaparelhar sua frota de combate.

O projeto estreita laços de cooperação entre Brasil e Suécia. (Imagem: Saab)

Além desse importante passo a frente correspondente à  capacitação do braço aéreo armado do Brasil para garantir a superioridade sobre o seu espaço aéreo nas próximas décadas, o País receberá transferência de tecnologia que colocará a indústria aeroespacial brasileira num patamar mais elevado. Mais de 50 engenheiros brasileiros já estão trabalhando  no projeto na Suécia e até 2022 mais de 350 passarão pelo processo de aprendizagem na fábrica da Saab em Linköping.

Os primeiros 15 Gripen NG destinados para a FAB serão produzidos na Suécia e os demais no Brasil. Na construção do caça dentro do País a Embraer  Defesa e Segurança (EDS) será a principal contratada, liderando a cadeia de fornecedores e cuidando da montagem final, integração de sistemas, ensaios em voo e no solo, certificação do Gripen NG no Brasil, suporte técnico e ações comerciais para exporta-los para países onde a Saab não possui tradição comercial. Entre as empresas brasileiras subcontratadas figuram a AEL Sistemas (avionica), Akaer (projeto de aeroestruturas), Inbra, Atech, Mectron, GE Celma (manutenção de motor).

De acordo com a Saab, o voo do primeiro voo do protótipo deve acontecer ainda no corrente ano em Linköping. Vale lembrar que o governo da Suécia encomendou 60 Gripen NG para a sua Força Aérea e as primeiras entregas  estão previstas para 2019.

O brigadeiro Rossato destacou que o Gripen NG é um divisor de águas para a indústria de defesa e que o projeto é estratégico para o Brasil. (Imagem: Saab)

Os primeiros Gripen NG também devem chegar para os esquadrões da FAB em 2019 com prioridade para o 1ºGDA (Primeiro Grupo de Defesa Aérea), sediado em Anápolis (GO), sendo que os últimos serão entregues em 2024. Em termos operacionais, os primeiros pilotos brasileiros já receberam treinamento na Suécia nos Gripen C/D e habilitados como instrutores, passo inicial para disseminação de uma doutrina operacional do novo caça.

Cinco países usam aviões de combate da família Gripen: Suécia, República Tcheca, Hungria e Tailândia. Atualmente, a Eslováquia caminha na direção de uma encomenda firme. Vale lembrar que a Empire Test Pilots’ School (ETPS) do Reino Unido emprega a plataforma para formar pilotos de testes.

Ivan Plavetz