Regimento Pitaluga prepara a entrega de blindados EE-11 Urutu para o BOPE (PMERJ).

0
5812
Os ENGESA EE-11 Urutu empregados no Haiti receberam uma série de modificações ditadas pela experiência operacional acumulada durante 13 anos de missões.

O 15º Regimento de Cavalaria Mecanizado (Escola) (15º R C Mec Es), também conhecido como Regimento General Pitaluga, é uma unidade do Exército Brasileiro, localizada no Rio de Janeiro, e vinculada ao Grupamento de Unidades-Escola/9ª Brigada de Infantaria Motorizada. É nessa unidade que viaturas blindadas ENGESA EE-11 Urutu estão recebendo os últimos detalhes de pintura, identificações e equipamentos antes de serem entregues ao Batalhão de Operações Policiais Especiais, o BOPE.

Os Caveiras deverão receber pelo menos três blindados (confirmados nas imagens), mas levando-se em conta a origem desses carros, oriundos do material empregado na MINUSTAH (Haiti) e posteriormente repatriado, é possível que a frota chegue a cinco/seis unidades.

Os ENGESA EE-11 Urutu empregados no Haiti receberam uma série de modificações ditadas pela experiência operacional acumulada durante 13 anos de missões. Modificados pelo Arsenal de Guerra de São Paulo, esses veículos apresentam uma capacidade de proteção balística bem maior que um EE-11 Urutu standard.

Entre as modificações introduzidas estão a instalação de uma torreta blindada, blindagem transparente para o compartimento do motorista na forma de um domo que aumenta sobremaneira a altura do veículo (trabalho realizado pela CENTIGON, especializada em blindagens), instalação de lâminas frontais para remoção de obstáculos (bulldozer), uso de pneus de caminhão COTS (adquiridos no mercado civil), desonerando sobremaneira a logística, pois anteriormente se empregavam pneus importados dentro de especificações MIL SPEC (uso militar), e a adoção do “berço blindado” instalado/encaixado ao redor das quatro escotilhas sobre o compartimento da tropa.

Esse elenco de modificações visavam eliminar vulnerabilidades detectadas em um veículo que precisava patrulhar em ruas estreitas, e com a maioria das ocorrências de ataques contra o blindado vindo de cima, na forma de coquetéis Molotov, granadas ou disparos de armamento efetuados de cima para baixo.

Exatamente o que o BOPE enfrenta no seu dia a dia com obsoletos carros de transporte de valores adaptados, e blindados sul-africanos Paramount Maverick, boa parte deles indisponíveis por falta de um contrato de continuidade da manutenção após o vencimento da garantia (a Paramount fica na África do Sul) e acidentes/atrito operacional (incluindo capotamentos).

Com os EE-11 Urutu modificados, o BOPE inaugurará uma nova etapa de suas capacidades operativas, atuando com velocidade, choque, elemento surpresa e sendo capaz de proteger eficazmente os grupos de combate (GC) durante o desenrolar das ações cujo objetivo maior é salvaguardar a vida e a integridade dos cidadãos das comunidades em conflito.