Recursos para modernização de aviões de combate A-1 da FAB

0
2641

A Agência Brasil noticiou que a Comissão Mista de Orçamento do Congresso (CMO) liberou crédito suplementar para quatro projetos no valor de R$ 4,27 bilhões. Deste montante, R$ 152 milhões foram reservados para os Ministérios da Justiça e da Defesa, sendo que R$ 86,4 milhões serão destinados para dar continuidade ao programa de modernização dos aviões de combate A-1 (AMX) da Força Aérea Brasileira (FAB).

Uma alteração na Lei de Orçamento para 2016, decretada pela então presidente Dilma Rousseff em maio, autorizou o deslocamento de recursos antes destinados a investimentos para a manutenção em vários órgãos do governo. A maior movimentação aconteceu no âmbito da Aeronáutica, sendo que uma verba de R$ 101 milhões, antes prevista para dar continuidade ao programa de modernização dos A-1 neste ano, foi remanejada.

O programa de modernização dos A-1 pela Embraer Defesa & Segurança previa inicialmente 43 aeronaves (33 A-1A e 10 A-1B), incluindo reparo de partes e equipamentos, fornecimento de partes sobressalentes dos novos sistemas incorporados à aeronave, revitalização de equipamentos de apoio em solo e sistemas para simulação (treinamento e manutenção, bem como planejamento e análise de missão).

Contando com a participação da AEL Sistemas e Mectron, os A-1M estão recebendo um novo radar multimodo SCP-01, cockpit dominado por três grandes MFCD e um HUD mais avançado, novos computadores de missão, moderna suíte eletrônica de autodefesa, compatibilidade com HMD, HOTAS, OBOGS e integração de novos armamentos que inclui bombas inteligentes.

Tendo o primeiro protótipo do A-1M, monoposto, voado no dia 19 de junho de 2012, as atividades de desenvolvimento e certificação prosseguiram até meados de 2014. O segundo protótipo, biposto, realizou voo inaugural em dezembro de 2013.

Três A-1M foram entregues para a FAB até o momento e estão operando regularmente. Conforme a COPAC, considerando a entrada em operação do F-39 (Gripen NG) e a realidade orçamentária, a quantidade de aeronaves a serem modernizadas poderá ser revista sem afetar a operacionalidade da Força Aérea.

(Imagem: Agência Força Aérea/Cb Silva Lopes)
(Imagem: Agência Força Aérea/Cb Silva Lopes)

Os A-1 operam atualmente em dois esquadrões de ataque (1º/16º GAv “Esquadrão Adelphi”, localizado em Santa Cruz (RJ), e 3º/10ºGAv “Esquadrão Centauro”, sediado em Santa Maria (RS) e por um esquadrão especializado em reconhecimento tático, o 1º/10º GAv “Esquadrão Poker”, baseado em Santa Maria (RS).

 

Ivan Plavetz