Quando a comunicação via rádio se torna uma questão de vida ou morte

0
805
Visby Class Stealth Corvette built by Kockums/Sweden/ThyssenKrupp Marine Systems on mission in Karlskrona Waters, September 2005. Photo for Kockums by YPS Peter Neumann, Hamburg  

Além de uma responsabilidade diária de manter a soberania nacional, as marinhas de todo o mundo estão assumindo um número cada vez maior de missões internacionais.

Isso deposita novas demandas na tecnologia e na necessidade de se comunicar.

Imagine estar em uma missão militar longe, no mar, e encontrar-se em uma situação de risco de vida, com uma necessidade desesperada de se comunicar.

As ações que você toma para sobreviver podem precisar ser aprovadas pelo alto comando, muitas vezes dependendo de informações de pessoas em posições diferentes dentro da hierarquia de comunicação.

Isso inicia uma cadeia de comunicação por rádio que, frequentemente, usa diferentes tecnologias e frequências, às vezes tanto em plataformas digitais quanto analógicas.

Todos esses padrões diferentes criam um gargalo crítico para o operador, o que, se você tiver pouca sorte, significa que pode levar várias horas até que sua mensagem chegue à pessoa certa.

Durante este período, é muito provável que sua mensagem tenha sido repetida diversas vezes, de pessoa para pessoa, e haja o risco de ser mal interpretada no momento em que ela chegar à pessoa certa. Sua tecnologia de comunicação por rádio tornou-se, agora, uma questão de sobrevivência.

E se houvesse uma maneira que permitisse que esses diversos meios de comunicação funcionassem juntos em uma única interface?

A comunicação por rádio integrada é o futuro

No momento, é comum que as marinhas se comuniquem por meio de sistemas de rádio mais antigos, mas a versatilidade do ambiente naval atual exige uma configuração diferente. Escalabilidade e flexibilidade são fundamentais, e um sistema de comunicação eficiente deve ser capaz de lidar com tudo o que se comunica, às vezes até mesmo telefones celulares e outras formas de comunicação digital.

Mas como você atualiza um sistema de rádio – essencialmente composto de diversos rádios diferentes – sem ter que gastar centenas de milhões? A resposta é uma solução que interconecta todas as tecnologias de comunicação, independentemente da banda de rádio, da frequência e do hardware. Uma solução de comunicação completa e integrada baseada na tecnologia de voice over IP.

“Estamos no despertar da era do IP”

“Estamos no despertar da era do IP no que se trata de comunicação moderna. Muitas marinhas estão usando sistemas de rádio analógicos antigos, às vezes muito antigos, e precisam começar a procurar por soluções por IP que integrem voz e dados”, diz Dennis Svane Christensen, da área de Support & Services da Saab Dinamarca, que trabalha com o sistema integrado de comunicação TactiCall baseado em IP, da Saab. “Com o TactiCall, podemos reutilizar os sistemas antigos de nossos clientes e adicionar uma nova capacidade de integração à infraestrutura existente, economizando muito dinheiro, funcionalidade e tempo para as forças armadas”.

Como exemplo de como o TactiCall funciona, considere uma força-tarefa internacional designada para salvar refugiados no mar.

Diferentes nações, todas usando seus próprios sistemas de rádio, participam da força-tarefa e, basicamente, carecem de meios para se comunicarem uns com os outros de forma eficaz. Uma configuração de comunicação conjunta faria uma grande diferença.

“Com o TactiCall, podemos facilmente conectar todos à mesma rede de comunicações. Não importa com que tipo de rádios eles aparecem, simplesmente os integramos no TactiCall e todos poderão conversar entre si, mesmo de uma tecnologia para outra, mas ainda dentro de uma estrutura totalmente segura”, diz Dennis.

Para o usuário, não há mudanças nos procedimentos ou nas rotinas de trabalho. Marinheiros ainda usarão os rádios que eles sempre usam – a única diferença é a possibilidade de conexão cruzada com qualquer outro rádio ou telefone conectado à mesma rede.  Como o sistema é baseado em IP, ele também poderia fazer parte de outra rede no outro lado do mundo.

“A necessidade de comunicação entre domínios e plataformas nunca foi tão grande e, ao considerar todos os aspectos, fica evidente que a tecnologia por trás de seus sistemas de comunicação é realmente importante”, afirma Dennis.

Sobre o TactiCall

O TactiCall disponibiliza todos os sistemas de comunicação – tanto de voz quanto de dados – através de uma interface.

O sistema integra todas as redes de comunicação – internas e externas, simples (red) ou criptografada (black) – em uma interface comum, intuitiva e fácil de usar. O resultado é uma velocidade, um fluxo de trabalho e uma comunicação aprimorados, em um ambiente totalmente seguro.

Como o sistema é basicamente uma solução de software, é completamente independente da tecnologia de hardware e rádio. Portanto, ele pode ser instalado na plataforma mais prática para o operador, e os dispositivos de saída podem ser portáteis, um fone de ouvido, um microfone e um alto-falante – com ou sem fio.

A Estação Telefônica Tática permite que os tripulantes usem qualquer console de operador a bordo de um navio.

Ao fazer o login com suas credenciais pessoais, eles obtêm acesso aos canais de comunicação e redes necessários para suas funções específicas. No evento improvável de uma falha do console do operador, o tripulante pode usar qualquer outro console para completar sua tarefa.

Em vez de ter três ou quatro dispositivos em frente ao operador, tais como telefones, rádios, displays etc., eles têm apenas um único console de comunicações com uma IHM (Interface Homem-Máquina) extremamente eficiente.