Portugal poderá decidir compra do KC-390 ainda em 2015

0
1575
Portugal é signatário de uma carta de intenção para aquisição de seis KC-390. (Imagem: EDS)
Portugal é signatário de uma carta de intenção para aquisição de seis KC-390. (Imagem: EDS)

De acordo com o portal Lusa – Agência de Notícias de Portugal, a compra do avião militar de transporte KC-390 para a Força Aérea de Portugal poderá ser decidida ainda neste ano. Segundo a agência, para que isso ocorra, a Lei de Programação Militar (LPM) prevê € 40 milhões para os pagamentos iniciais.

O ministro da Defesa de Portugal, José Pedro Aguiar-Branco, participou no dia 22 de janeiro de uma audiência na comissão parlamentar de Defesa de seu país, onde foram discutidos detalhes referentes à Lei de Programação Militar (LPM) e à Lei de Programação de Infraestruturas Militares (LPIM). Na ocasião especulou-se que Portugal iria desistir, pelo menos por enquanto, da aquisição do KC-390. No lugar dele seriam modernizados os Lockheed C-130 Hercules, visando estender a vida operacional dessas aeronaves até 2030.

No entanto, as últimas informações vindas da Europa dão conta que a intenção de compra assinada pelo governo de Lisboa está caminhando firme.

Conforme divulgado pela imprensa local, o Ministério da Defesa de Portugal aguarda que a Embraer apresente uma proposta comercial e técnica sobre a aeronave, sem a qual é impossível dar segmento ao processo. “O importante é que há condições para que, eventualmente em 2015, se tome uma decisão do ponto de vista político e financeiro”, afirmou Aguiar-Branco.

O KC-390, novo avião de transporte militar desenvolvido e construído pela Embraer Defesa e Segurança (EDS), conta com a participação da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal em seu programa de construção.

A OGMA é responsável pela produção de importantes componentes estruturais para a aeronave militar e está dando continuidade à produção dos elementos que tem a cargo, visando cumprir o calendário definido pela EDS para as primeiras entregas do KC-390.

A empresa portuguesa é responsável pela fabricação da fuselagem central, dos “sponsons” direito e esquerdo (conjuntos com cerca de 12 metros de dimensão que compõem a carenagem do compartimento do trem de aterragem) e dos lemes de profundidade. Essas peças são fabricadas em material compósito e ligas metálicas.

O envolvimento da OGMA no KC-390 iniciou-se ainda na fase de planejamento e concepção da aeronave, numa constante relação de parceria e de proximidade com a EDS. A empresa participou na fase inicial do Desenvolvimento do Produto (Joint Definition Phase) e no desenvolvimento e gestão de uma cadeia de fornecimento sustentada, competitiva e flexível, preferencialmente nacional.

Ivan Plavetz

Fonte: Lusa-Agência de Notícias de Portugal