Parque de Material Aeronáutico de São Paulo completa 75 anos

0
5762

O Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP) realizou uma cerimônia de celebração ao aniversário da unidade, que completou 75 anos no último domingo (22). Localizado na zona norte da capital paulista, o parque é responsável pelo apoio às aeronaves de alta performance da Força Aérea Brasileira (FAB), como os caças F-5M e futuramente os Gripen NG (F-39 na FAB), além dos projetos de asas rotativas. A cerimônia foi presidida pelo comandante da Aeronáutica interino, tenente-brigadeiro do ar Dirceu Tondolo Nôro.

As homenagens marcaram a solenidade, como a entrega do título honorífico de “Membro Honorário da Força Aérea Brasileira” em reconhecimento pelos valiosos serviços prestados à instituição, da “Menção Destaque Logístico” e da Medalha Militar por tempo de serviço prestado. Além disso, o suboficial da reserva Antranik Cassapian recebeu homenagem especial em comemoração aos 60 anos de dedicação à FAB e ao PAMA-SP. Conheça a história do militar nesta reportagem.

Imagem 3 PAMA-SP-75anos
Uma das atividades mais recentes do PAMA-SP é prestar apoio logístico para as aeronaves de asas rotativas da FAB (Imagem: Ivan Plavetz)

O Parque de Material provê apoio logístico para a FAB na área de material aeronáutico programado pela Diretoria de Material Aeronáutico e Bélico (DIRMAB) com propósito de mantê-la em treinamento eficiente na situação de paz e preparada para cumprir sua missão constitucional com eficácia quando mobilizada. “A grande gama de projetos sob a égide do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo comprova a elevada capacitação técnico-profissional alcançada ao longo dessas sete décadas e meia, levando esta organização a ser eleita a responsável pelo suporte logístico da mais moderna aeronave de combate adquirida pela Força Aérea Brasileira,o F-39 Gripen”, ressaltou o diretor do PAMA-SP, brigadeiro do ar Ricardo Augusto da Fonseca Neubert.

História

O Parque de Material Aeronáutico de São Paulo é uma das unidades mais antigas da Força Aérea Brasileira. Suas origens remontam ao ano de 1918, quando foi criada no Campo de Marte a antiga Escola de Aviação da Força Pública do Estado de São Paulo.

Em 1930, todo o acervo da escola foi transferido para o Exército e o Campo de Marte transformou-se em base de apoio para muitas linhas do antigo Correio Aéreo Militar. Em 1936, foi criado o Núcleo do 2º Regimento de Aviação, do qual fazia parte uma subunidade denominada Parque Regional, equipada com duas pequenas oficinas destinadas ao reparo de motores e de aviões. E foi em 1941, com a criação do Ministério da Aeronáutica, que o Parque Regional recebeu autonomia administrativa e passou a denominar-se Parque de Aeronáutica de São Paulo.

A partir daí houve uma intensa construção de hangares e edifícios destinados a transformar a unidade em um estabelecimento industrial plenamente adequado às exigências de manutenção do equipamento aéreo da FAB.

Os projetos de engenharia foram elaborados com a colaboração da Base Aérea de Wright-Patterson da Força Aérea dos Estados Unidos e dimensionados para apoiar a manutenção de um significativo número de aeronaves do acervo da FAB, a cada ano.

Formatura do efetivo e homenagens fizeram parte da solenidade comemorativa. (Imagem: PAMA-SP)

A aquisição de maquinaria, ferramental e testes foi efetuada nos EUA, aproveitando facilidades criadas por acordos governamentais com aquele país. Em 1952, as construções e instalações industriais estavam concluídas, o pessoal treinado e o sistema de manutenção organizado. O PAMA-SP foi responsável pela manutenção dos primeiros aviões de combate a jato da FAB, os Gloster Meteor F-8, e dos Mirage III (F-103), primeira aeronave supersônica da Força.

Ao longo das últimas décadas, o organismo continua recebendo investimentos destinados à sua ampliação e modernização, o que tem mantido a instituição apta a enfrentar os desafios tecnológicos que a aviação moderna impõe permanentemente.

Ivan Plavetz