Negociação dos mísseis ar-ar para o Projeto F-X2

0
3496
Foto 1 F-39-misseis-ar-ar.
(Imagem: SAAB)

De acordo com a Força Aérea Brasileira, a definição dos modelos de mísseis ar-ar BVR (além do alcance visual) e WVR (dentro do alcance visual) que serão empregados no Gripen NG (ou F-39 como está sendo identificado na FAB) ainda é objeto de negociações. No entanto, pode-se afirmar que o A-Darter será um deles.

O A-Darter, míssil de curto alcance orientado por radiação termal ou infravermelha, é um desenvolvimento conjunto entre Brasil e África do Sul. Considerado de 5ª geração, está sendo submetido ao processo de qualificação para entrar em serviço no corrente ano com os Gripen da Força Aérea do país africano.

Quantos aos mísseis BVR (Beyond Visual Range), os competidores não foram oficialmente revelados. Contudo, pode-se citar algumas possibilidades como é o caso do BVR Meteor do consórcio europeu MBDA, modelo que está chegando ao status operacional com os Gripen C/D da Força Aérea da Suécia. Suas características ainda são guardadas sob sigilo, mas já se sabe que o alcance vai superar os 100 Km e que a capacidade de neutralizar alvos é bastante refinada a ponto de diminuir consideravelmente as chances o alvo escapar de seu ataque.

Ainda com relação aos BVR é oportuno lembrar que a FAB já possui em seus arsenal mísseis BVR Derby da Israelense Rafael, o que poderia favorecer a aquisição de versões aperfeiçoadas do vetor.

Quanto ao contrato, a FAB informou que o valor máximo estipulado para aquisição inicial destes armamentos é de US$ 300 milhões. Detalhes do contrato, como previsão de quantidade e prazos de entrega, também estão em fase de negociações.

Ivan Plavetz