Míssil anti-navio conjunto do Reino Unido e França participa em novos ensaios de tiro (MBDA Sea Venon).

0
1254
O Sea Venom-ANL é capaz de ser lançado a partir de uma ampla gama de plataformas e será usado nos futuros helicópteros AW159 Wildcat da Royal Navy, além de ser adotado pela Marine Nationale da França.

O míssil anti-navio Sea Venom-ANL da MBDA conduziu com êxito mais um teste de tiro com exigentes requisitos de missão, o que representa um novo e significativo marco para o programa.

Realizado no final do ano passado na instalação de testes da DGA em Ile du Levant empregando como plataforma um helicóptero de teste Dauphin, o teste converteu-se no disparo final de desenvolvimento para o míssil antes do início dos testes de qualificação em 2019, segundo a MBDA.

“Este último teste destacou as capacidades “lock-on” do Sea Venom-ANL antes do lançamento, com imagens do buscador infravermelho do míssil sendo usadas pelo operador para designar o alvo antes de premir o botão de disparo.”

Frank Bastart, chefe do programa Sea Venom-ANL da MBDA, disse:

“Este teste bem-sucedido é um grande marco para o programa, que proporcionará um grande aumento nas capacidades de ataque naval de nossas forças armadas. Ao longo da campanha de testes, continuamos a levar o sistema e seus modos de operação aos seus limites. O sucesso destes testes é uma prova do desempenho “game-changer” do míssil Sea-Venom-ANL”.

Milésimos de segundo antes do impacto….
…. e atravessando o alvo, um container de carga representando o COC (centro de operações de combate) de um navio inimigo alvo…
O Sea Venom-ANL é capaz de ser lançado a partir de uma ampla gama de plataformas e será usado nos futuros helicópteros AW159 Wildcat da Royal Navy

O Sea Venom-ANL é capaz de ser lançado a partir de uma ampla gama de plataformas e será usado nos futuros helicópteros AW159 Wildcat da Royal Navy, além de ser adotado pela Marine Nationale da França.

Segundo a empresa:

“Este míssil de 120 kg foi desenvolvido para permitir que as marinhas lidem com uma série de ameaças, incluindo barcos de patrulha, corvetas e alvos costeiros em movimento rápido. O míssil pode ser disparado nos modos de bloqueio (LOCK-ON) antes do lançamento (LOBL) e travamento após o lançamento (LOAL), com um link de dados e um buscador de imagens bidirecionais, permitindo ao operador monitorar o engajamento, executar o refinamento do ponto de destino (onde ele quer acertar no alvo), selecionar um novo alvo, ou abortar a missão (autodestruição), se necessário”.