Ministro da Defesa conhece projetos estratégicos do Exército

0
2233
(Imagem: Tereza Sobreira/Ministério da Defesa)

Durante visita ao Quartel-General do Exército em Brasília (DF), na última semana, o ministro da Defesa Raul Jungmann assistiu a uma exposição sobre planejamento, projetos estratégicos e orçamento da Força.

Na ocasião, o comandante do Exército, general-de-exército Eduardo Dias Villas Bôas, falou sobre a missão constitucional da Força Terrestre, que conta atualmente com um efetivo de aproximadamente de 220 mil soldados e atua em uma média de 80 operações por dia.

O general Villas Bôas destacou a evolução do conhecimento e a importância do Serviço Militar Obrigatório, que, segundo ele, garante a presença médica em comunidades isoladas em diversas regiões do país, em particular, na Amazônia. Para o ministro da Defesa, além da credibilidade e do preparo, a competência dos militares deve ser reconhecida e evidenciada: “Aqui está o melhor repositório de quadros qualificados do País”, disse Jungmann.

A exibição do portfólio estratégico da Força ficou a cargo do general-de-brigada Guido Amin Naves, chefe do escritório de Projetos do Exército.

Foram apresentados o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), Sistema Integrado de Proteção das Estruturas Estratégicas Terrestres (Proteger), Defesa Cibernética, Recuperação da Capacidade Operacional (RECOP), Defesa Antiaérea, ASTROS 2020 e o projeto Guarani  correspondente à  nova família de blindados.

O subchefe do Estado-Maior do Exército, general-de-exército Eduardo Castanheira Garrido Alves, detalhou os custos, prazos e principais pleitos da Força. Ao final, apresentou uma pré-proposta orçamentária para 2017 e falou ainda sobre as alternativas que o Exército tem buscado para driblar a atual crise econômica.

O Guarani

O primeiro projeto apresentado foi a nova família de blindados Guarani.

Com o envolvimento de 50 empresas brasileiras e 90% de conteúdo nacional, a viatura tem grande potencial de exportação, e já despertou o interesse de compra de 14 países.

SISFRON

O projeto contribuirá no combate ao crime transfronteiriço e será uma importante ferramenta na atuação interagência dando apoio, por exemplo, a ações da vigilância sanitária e de arrecadação fiscal.

Um projeto piloto está sendo executado em Mato Grosso, com o término previsto para 2018. Após ajustes pontuais, deverá ser implantado do estado do Acre até Santa Catarina e, em seguida, no restante da fronteira de todo o País.

Jungmann garantiu que se empenhará pessoalmente para que o projeto caminhe com celeridade. “A nossa resposta em termos de proteção fronteiriça é o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras. Ele traz, não apenas defesa para o País, mas também, segurança para a nossa população”, disse.

Astros 2020

O terceiro programa destacado foi o Sistema de Artilharia de Mísseis e Foguetes Astros 2020, que possui alcance de 300 Km. Com 100% de conteúdo nacional, o Astros 2020 já está 40% concluído e a previsão de conclusão das entregas  é para 2023.

O Exército apresentou, ainda, o Sistema de Defesa Antiaérea de baixa altura, que tem, por outras finalidades, a proteção de centros estratégicos, além de possibilitar o domínio da tecnologia de radares.

Defesa Cibernética e Proteger

General Villas Bôas expõe detalhes de planejamento, projetos estratégicos e orçamento da Força Terrestre. (Imagem: Tereza Sobreira/Ministério da Defesa)
General Villas Bôas expõe detalhes de planejamento, projetos estratégicos e orçamento da Força Terrestre. (Imagem: Tereza Sobreira/Ministério da Defesa)

O projeto Defesa Cibernética visa aperfeiçoar toda a estrutura cibernética com o objetivo de reduzir a vulnerabilidade dos sistemas relacionados à Defesa Nacional contra ataques hacker.

A defesa espacial ficará a cargo da Aeronáutica e a nuclear, da Marinha. A capacidade operativa da Defesa Cibernética foi testada em eventos como a Copa das Confederações e a Copa do Mundo 2014. Somente durante a realização do mundial de futebol foram neutralizados cerca de 750 ataques.

Outro importante produto desenvolvido pela Força Terrestre é o Proteger, que tem por objetivo a proteção de estruturas estratégicas, como estações de energia e água.

Ordem do Mérito Militar

Durante a visita, o ministro Raul Jungmann recebeu a ordem do Mérito Militar, sendo promovido ao grau Grã-Cruz. Após a entrega da ordem, o ministro agradeceu a comenda e destacou a missão que recebeu: “Eu me sinto muito acolhido, mas também com muita reponsabilidade, não apenas pelo que representa o Exército Brasileiro para o País, mas também pelo enorme desafio que precisamos enfrentar e juntos, vencer”.

Jungmann já visitou o Comando da Marinha e nas próximas semanas deverá visitar também o comando da Aeronáutica.

Ivan Plavetz