Embraer divulga resultados do 4º trimestre de 2017.

0
3954
Embraer divulga resultados do final de 2017: cliente não revelado dos seis Super Tucano encomendados pode ser o Chile.
  • *Cliente comprador de seis aeronaves A-29 ST não revelado pode ser a Força Aérea do Chile. Segundo fonte da publicação, esses EMB-314 ST seriam empregados para patrulhar as fronteiras do Chile com a Bolívia.
  • A Redação de T&D recebeu na manhã de quinta feira (08/02) a informação do avistamento de aeronaves da Fuerza Aerea de Chile realizando parada técnica de reabastecimento no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu.
  • Segundo a fonte de T&D, o grupo seria formado por um Lockheed C-130 Hercules, matrícula FACh 990, e os A-29 ST FACH 463 e 464.
  • A redação de T&D checou todas as informações on-line sobre operações declaradas no aeroporto de Foz do Iguaçu, incluindo consulta a sites de escuta de torre de controle. Identificamos apenas voos da aviação comercial.
  • No entanto, ao final da tarde dessa quinta-feira, T&D logrou contactar grupo spotter em Foz do Iguaçu, e a movimentação de aeronaves militares não brasileiras, três delas, foi confirmada por voz. Estamos aguardando uma prova visual (fotos), que serão postadas nesse artigo assim que as recebermos, devidamente autorizadas.
A reportagem de T&D com pilotos do Grupo Nº1 da FACh, antes da decolagem para voos no deserto do Atacama.
RELAÇÃO DE AERONAVES SUPER TUCANO EM CARGA NA FACH, COM SUAS MATRÍCULAS.
Mais informações sobre a FACH e seus EMB-314 Super Tucano ao final deste artigo.

DEFESA & SEGURANÇA

No final do 4T17, o KC-390 completou um marco fundamental com a demonstração pela Embraer à Força Aérea Brasileira (FAB) do atingimento da Capacidade Inicial de Operação (Initial Operational Capability – IOC).

O atingimento da IOC assegura as condições necessárias para o início de operação da aeronave, em conformidade com o escopo acordado com a FAB.

Como parte da IOC, a Embraer obteve um Certificado de Tipo Provisório do KC-390 junto à ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), atestando a adequação do projeto aos exigentes requisitos de certificação de aeronaves da categoria transporte.

(Imagem: Sargento Batista/CECOMSAER)

Antes deste atingimento, o KC-390 realizou uma série de testes nos Estados Unidos como parte de sua campanha de ensaios para certificação. Nestes ensaios a aeronave realizou testes nos sistemas de aviônicos, de medição de ruído externo e operações com vento cruzado.

Com relação ao programa A-29 Super Tucano, no último trimestre foi anunciado três pedidos firmes totalizando 18 aeronaves.

A reportagem de T&D voando o A-29 Super Tucano do grupo Nº 1, Fuerza Aerea de Chile.

O primeiro contrato, de seis aeronaves, foi para um cliente não revelado* (ver introdução).

As aeronaves poderão ser utilizadas para treinamento tático e avançado bem como em missões de ataque leve e ISR (inteligência, vigilância e reconhecimento).

As entregas referentes a este contrato serão concluídas em 2018.

O segundo contrato, também de seis aviões, tem como cliente a Força Aérea das Filipinas (PAF).

Após um abrangente processo de licitação pública, que contou com a participação de vários fabricantes de todo o mundo, o Super Tucano foi selecionado como parte do plano de modernização da PAF.

O A-29 Super Tucano é um avião turboélice robusto, versátil e poderoso, capaz de realizar uma ampla gama de missões, mesmo operando a partir de pistas não preparadas. Até o momento, o Super Tucano já foi selecionado por 14 forças aéreas em todo o mundo. Uma vez que a entrega dessas aeronaves esteja concluída, elas serão operadas e mantidas pelo 15º Esquadrão de Ataque, o usuário final dentro da PAF.

A aeronave será utilizada em missões de apoio aéreo tático, ataque leve, vigilância, intercepção e contra-insurgência. As entregas começarão em 2019.

No terceiro pedido, a Embraer Defesa & Segurança e sua parceira Sierra Nevada Corporation (SNC) receberam da Força Aérea Americana um pedido de mais seis aeronaves para a frota do programa no Afeganistão.

O A-29 é usado para realizar missões de treinamento avançado em voo, reconhecimento aéreo e outras operações do Programa A-29 no Afeganistão.

A produção das seis novas aeronaves se iniciou ainda em 2017 em Jacksonville, Flórida. Com isso, o programa totaliza 26 aeronaves até o momento.

As primeiras surtidas dos A-29 Afegãos resultaram em expressivas perdas para os insurgentes. (Imagem: Força Aérea dos Estados Unidos)

Durante o 4T17, mais dois Phenom 100 também foram entregues para a Affinity Flying Training Services para utilização pelo Ministério da Defesa do Reino Unido no treinamento de pilotos das Forças Armadas.

A sexta e última unidade referente a este contrato será entregue no 1T18.

A Embraer Defesa & Segurança fechou o ano com US$ 4,2 bilhões em sua carteira de pedidos firmes.

 

ENTENDIMENTOS COM A BOEING

Em 2017, a Embraer iniciou entendimentos com a Boeing – já parceira em projetos de engenharia, ecoeficiência e projetos socioculturais – para uma possível combinação de negócios entre as duas empresas.

As negociações continuam em andamento e uma eventual estrutura estará sujeita à aprovação do Governo Brasileiro, dos órgãos reguladores nacionais e internacionais e das duas companhias.

Não há garantia de que a referida combinação de negócios venha a se concretizar.

T&D a bordo de um EMB-314 ST (A-29) durante missão de ataque sobre o Deserto do Atacama (Imagem: Kaiser Konrad)

A FACh e o EMB-314 Super Tucano

A reportagem de T&D atestou de forma operacional, há alguns anos, a letalidade dos turboélices A-29 Super Tucano da FACh em missões de ataque e patrulhamento de fronteiras. Além de treinar estagiários (futuros novos pilotos de F-16), o modelo angariou fama e uma respeitável ficha em combate com os chilenos.

Equipado com uma aviônica de última geração, o cockpit do ST permite um desempenho dos sistemas de armas acima da média para esse tipo de aeronave, em termos de precisão e eficácia. Além disso, a aviônica avançada reduz consideravelmente a carga de trabalho da tripulação, maximizando aspectos da missão em prol da tripulação.

Em 2011, o então comandante da FACh, general Hojas, concedeu uma entrevista ao jornalista de T&D Kaiser Konrad, onde falou a respeito do Super Tucano operando naquela Força Aérea “Estamos muito satisfeitos com o A-29  e a sua aquisição foi um aporte significativo dentro do nosso programa de modernização, pois tem nos permitido desenvolver e capacitar nossos jovens pilotos numa plataforma que integra modernas tecnologias a um custo relativamente baixo. A excelente capacidade dos seus aviônicos têm sido importante para a formação dos futuros pilotos da primeira linha da aviação de caça. Ao operar o Super Tucano, demos conta de que ele não é somente uma excelente plataforma de instrução, mas é um avião com todas as capacidades necessárias às missões de combate, destinadas fundamentalmente para serem utilizadas nas mais variadas missões de ataque ao solo em apoio à Força Terrestre. O Super Tucano representou para a FACh uma revolução tecnológica, tanto na instrução tática avançada, como nas tarefas de apoio ao combate, e estamos muito satisfeitos, esperando utilizá-lo cada vez mais para explorar todo seu potencial.”.

O então comandante das FAch em 2011, general Hojas “O A-29 Super Tucano =é perfeito para missões de apoio as tropas no solo, uma plataforma de ataque altamente letal e de baixo custo”.