MBDA assegura contrato para desenvolver o míssil SPEAR

0
2221
O futuro míssil SPEAR apresenta avançadas características como o sistema de guiagem multi-sensores. (Imagem: MBDA)

O Ministério da Defesa do Reino Unido assinou contrato de valor superior à £ 400 milhões com o consórcio europeu MBDA correspondente à Fase de Desenvolvimento de Arma do míssil ar-superfície de precisão SPEAR.

Esse contrato promoverá mais avanços do projeto para conclui-lo e coloca-lo em produção seriada. A previsão é para que o projeto esteja terminado até 2020, prazo combinado através do contrato.

O desenvolvimento do SPEAR envolverá a participação de 350 engenheiros que atuam nas instalações da companhia situadas em Stevenage, Bristol e Lostock, todas no Reino Unido. Além disso, um número igual de empregos serão mantidos na cadeia de fornecedores.

O míssil SPEAR está sendo desenvolvido para atender o requisito Selective Precision Effects At Range Capability 3 (SPEAR 3) referente aos novos aviões de combate de 5ª geração F-35 destinados ao Reino Unido e opcionalmente poderá equipar os Typhoon em operação na Real Força Aérea do Reino Unido (RAF).

De acordo com a MBDA, o SPEAR terá capacidade de engajamento de alvos de longa distância (stand-off) com elevada precisão estando eles  moveis ou  estacionários, solitários ou em grupo, camuflados ou escondidos, de dia ou de noite, em qualquer condição meteorológica, mesmo em ambientes saturados de contra-medidas. Suas características permitem ataques stand-off que mantém as tripulações dos aviões atacantes a distâncias seguras das ameaças de defesa aérea inimigas.

Dave Armstrong, diretor-gerente da MBDA do Reino Unido, disse que desenvolver uma solução para o requerimento SPEAR 3 é um importante programa para a MBDA e para os futuros operadores de F-35 do Reino Unidos (RAF e Royal Navy). O contrato celebrado confirma que o SPEAR é o único capaz de atender aos requisitos operacionais do projeto britânico, avaliou o executivo. Armstrong destacou que o novo míssil delega para os F-35 elevada capacidade de sobrevivência e precisão contra alvos até agora atacados com o Brimstone graças ao alcance stand-off, emergindo diversas vantagens para as tripulações em termos de flexibilidade e sobrevivência.

Impulsionado por um motor turbojato, o SPEAR possui um alcance que permite à aeronave lançadora mantenha-se distante de ameaças. Conforme a MBDA, o míssil está equipado com cabeça de guerra multifuncional desenvolvida para atender demandas das futuras missões de combate. O sistema de guiamento de última geração abriga multi-sensores capazes de operar em qualquer condição de combate, sendo hábil no engajamento de ampla gama de alvos de superfície terrestre ou marítima. Destinada ao F-35, os testes serão realizados com a utilização do Eurofighter Typhoon como plataforma dos lançamentos experimentais, o que abre possibilidades de integração do SPEAR nesse modelo.

Ivan Plavetz