Marinha do Brasil e o esporte de alto rendimento

0
5969
1
Vice-almirante Paulo Cesar Stingelim Guimarães (coordenador-geral do Programa Olímpico da Marina), Cyro Delgado (subsecretário de Esporte e Eventos do governo do RJ), General de Exército Augusto Heleno Ribeiro Pereira (presidente do Instituto Olímpico) e Carlos Chagas Vianna Braga (presidente da Comissão de Desportos da Marinha e comandante do CEFAN)

No dia 19 de maio, no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN), na cidade do Rio de Janeiro (RJ), a Marinha do Brasil (MB) apresentou um amplo panorama de sua contribuição para o desenvolvimento do desporto nacional de alto rendimento. O evento proporcionou a oportunidade para autoridades, imprensa e convidados conhecerem alguns dos principais atletas olímpicos brasileiros, incluindo aqueles que poderão alcançar expressivos resultados no corrente ano nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, nos 6º Jogos Mundiais Militares, e em 2016, nas Olimpíadas.

Uma ampla programação preparada pelo Comando e Assessoria de Comunicação Social do CEFAN incluiu uma apresentação sobre a “Visão do Comitê Olímpico do Brasil sobre o papel das Forças Armadas no desenvolvimento do Esporte Olímpico”, proferida pelo general-de-exército Augusto Heleno Ribeiro Pereira, presidente do Instituto Olímpico, e outra sobre o Programa Olímpico da Marinha, ministrada pelo contra-almirante Carlos Chagas Vianna Braga, presidente da Comissão de Desportos da Marinha.

Foi possível também acompanhar fases do treinamento dos atletas e conhecer as instalações do CEFAN.

2

No momento, a MB conta com 221 atletas de alto rendimento, distribuídos em 20 modalidades esportivas, sendo uma das principais instituições incentivadoras do desporto nacional. Este incentivo tem proporcionado resultados auspiciosos, por exemplo, nos Jogos Olímpicos de Londres, de 2012, dos 17 atletas da MB que participaram da delegação brasileira, dois subiram ao pódio. A única medalha de ouro obtida pelo Brasil foi a da sargento Sarah Menezes que conquistou o inédito primeiro lugar para o judô feminino; a judoca sargento Mayra Aguiar também subiu ao pódio, trazendo a medalha de bronze em sua categoria.

No último Prêmio Brasil Olímpico, seis atletas da MB foram premiados em suas modalidades: sargentos Aline Silva (luta olímpica), Mayra Aguiar (judô), Martine Grael e Kahena Kunze (vela), Fabiana Beltrame (remo) e Robson Conceição (boxe). As velejadoras, que foram eleitas como as melhores do mundo na modalidade em 2014, também conquistaram o prêmio de melhores atletas do ano.

 O CEFAN é considerado um centro de referência em educação física e desporto com instalações que oferecem conforto e facilidades adequadas para a prática desportiva. Estão à disposição dos atletas, por exemplo, o Centro de Fisioterapia e as estruturas de treinamento de basquetebol, voleibol, natação, saltos ornamentais, futebol, atletismo, voleibol de praia e boxe.

3

O padrão internacional das instalações contribuiu para que o CEFAN fosse sede dos Jogos Mundiais Militares de 2011 e os campeonatos mundiais de Pentlato Naval e Militar de 2013, além de ser a instalação oficial de treinamento dos jogos Rio 2016, olímpico e paraolímpicos.
Subordinado ao Comando Geral do Corpo de Fuzileiros Navais, o CEFAN é também referência do Programa Forças no Esporte (PROFESP), um convênio entre os Ministérios da Defesa, do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, que tem como objetivos a promoção para crianças e jovens, através do esporte, a integração social, a saúde e a prevenção da marginalidade e da violência. Atualmente, 210 crianças moradoras de comunidades próximas ao centro da cidade, participam do PROFESP divididas em dois turnos.

Este importante programa social tem demonstrado seu acerto ao gerar resultados de longo prazo para o futuro do esporte nacional, como no caso do levantamento de peso olímpico, com o título de campeã alcançado pela atleta Aline Facciola, oriunda dos projetos sociais do CEFAN e atualmente integrante do Projeto Marinha-Odebrechet.

Outro significativo programa desenvolvido no CEFAN é o Forças no Esportes, em parceria com a construtora Norberto Odebrecht S.A, que atua simultaneamente nas áreas de atividades físicas e desporto e que desenvolve um intenso trabalho voltado para as modalidades olímpicas de menor expressão no País.

4

O CEFAN conta com um dos mais modernos Centros de Reabilitação Física existentes, que atende as necessidades dos atletas e também é amplamente utilizado por militares da MB e seus familiares. Integrante de sua estrutura é destaque o Laboratório de Pesquisa em Ciências do Exercício (LABOCE), que tem como atribuição o planejamento e a realização de estudos e pesquisas científicas sobre o condicionamento físico, práticas desportivas e reabilitação.

Uma das linhas de pesquisa do LABOCE é o Programa de Prevenção de Lesões Musculoesqueléticas em militares da ativa, que inclui uma interface com o Comando de Operações Especiais na avaliação física dos integrantes, por exemplo, do Curso Especial de Comandos Anfíbios.