LAAD Security 2016: Suntech e a defesa cibernética

0
3085

A América Latina tem sido cada vez mais alvo de ataques virtuais e o Brasil é um dos principais focos. De acordo com estudo realizado pela Cybersecurity Ventures, o País perde mais de US$ 8 bilhões por ano por conta de crimes na internet, o que o torna a segunda maior fonte de cibercrimes no mundo e o número um na América Latina.

De acordo com o levantamento, o mercado latino-americano de cibersegurança deve crescer de US$ 5,29 bilhões (valor registrado em 2014) para US$ 11,91 bilhões até 2019. Somente o mercado brasileiro de segurança digital deve atingir US$ 7,29 bilhões nesse mesmo período.

Especializada na criação de soluções que ajudam órgãos e instituições em todo o mundo no combate ao crime, terror e ameaças cibernéticas, a Suntech demonstrou na LAAD Security 2016 sua plataforma de proteção projetada para atuar em todas as etapas do ciclo do ataque, provendo as ferramentas necessárias para vencer a batalha cibernética, e denominada Verint Threat Protection System ou TPS.

A solução TPS efetuando um padrão de busca e detecção de ameaças em modo simulado.

A solução TPS fornece às organizações detecção abrangente, priorização, investigação automatizada e proteção contra ataques avançados, ajudando os Centros de Operações de Segurança Cibernética (CSOC) a identificar, analisar e neutralizar ameaças mais rapidamente, prevenindo, também, ataques futuros.

O elevado nível de automação da ferramenta TPS, o amplo suporte da Suntech ao operador e o treinamento ajudam a extrair o melhor das capacidades do sistema. As soluções de inteligência em comunicações da Verint estão baseadas em quatro diretrizes a seguir:

A Inteligência de rede, que permite às autoridades, agências de segurança nacional e de inteligência gerar inteligência acionável a partir do tráfego de rede para descobrir rapidamente informações cruciais para a investigação e tratar de ameaças criminosas, terroristas e contra a segurança nacional de maneira proativa. Pode ser configurada para lidar com uma ampla variedade de redes de comunicações e pode ser dimensionada para atender grandes volumes de tráfego.

A inteligência tática permite às autoridades, instituições correcionais e agências governamentais melhorar as operações de campo de suas unidades táticas com inteligência acionável em tempo real. Ajuda a neutralizar ameaças criminosas, terroristas e outras ameaças, auxiliando unidades de operação tática a melhorar o foco em suspeitos e comportamento suspeito, implantando recursos de campo de forma mais eficaz.

A ferramenta Verint Threat Protection System ou TPS sendo demonstrada por Rodrigo Cunha, gerente de soluções da Suntech.

Já a  inteligência da web, na nuvem e de fontes abertas, permite que as unidades de investigação de organizações governamentais e comerciais aproveitem a web, a nuvem e os dados de fonte aberta para identificar insights e ajudar a acelerar investigações de fraude, atividades criminosas, terrorismo e ameaças à segurança nacional. Ajuda a transformar grandes volumes de conteúdo em dados estruturados e informações relevantes, identificar padrões de comportamento suspeitos, identificar a localização de suspeitos durante o uso da web ou de redes móveis e gera elementos de prova.

Prestador de serviços de comunicações

Ajuda os prestadores de serviços de comunicações a ficar em conformidade com ETSI, CALEA e outros regulamentos e normas de interceptação legal. É compatível com vários diferentes tipos de rede e fornece um alto grau de automatização dos processos de conformidade de interceptação legal, com trilhas de auditoria completas e baixo custo administrativo, sem interromper o serviço.

Roberto Caiafa
Texto e imagens