LAAD 2015: ROSTEC quer ampliar cooperação estratégica no Brasil

0
3339
Foto 1 ROSTEC-Brasil.
Corporação ROSTEC já detém 700 companhias e 22 joint-ventures com parceiros internacionais. (Imagem: ROSTEC)

A ROSTEC, corporação estatal da Federação da Rússia que desenvolve, fabrica e exporta produtos industriais de alta tecnologia para uso civil e militar, planeja reforçar e ampliar a cooperação técnico-militar na América Latina, em especial com o Brasil, da mesma forma como já acontece em outros países como China e Índia.

Denominada localmente “Embaixadora Industrial da Rússia”, a ROSTEC considera o Brasil parceiro estratégico. A companhia participará entre os dias 14 e 17 de abril da Latin America Aerospace & Defense (LAAD), no Rio de Janeiro (RJ). As holdings que integram a corporação apresentarão projetos de alta tecnologia para os setores civil e de defesa.

As soluções tecnológicas que serão exibidas pela ROSTEC são aplicáveis principalmente nas áreas de segurança e no desenvolvimento da infraestrutura portuária e de energia. Entre elas, destacam-se sistemas inteligentes denominados “Cidade Segura” e “E-Governo” (Governo Eletrônico), além de armas para a defesa aérea e helicópteros de duplo propósito (civil e militar).

“A ROSTEC quer ampliar sua presença no Brasil, não apenas para fornecer seus produtos, mas também para colaborar com parceiros locais e desenvolver conjuntamente soluções de alta tecnologia, criando empresas de cooperação bilateral”, declarou Sergey Goreslavskiy, diretor-adjunto da Rosoboronexport, companhia exportadora de produtos militares integrante da ROSTEC.

Foto 2 ROSTEC-Brasil.
(Imagem: ROSTEC)

De acordo com a visão do grupo russo, entre os países da América Latina, o Brasil ocupa o primeiro lugar em importância no âmbito comercial. Ela considera o País como sendo um dos mais promissores também em termos de desenvolvimento conjunto de altas tecnologias para o setor industrial.

O cenário visualizado pela ROSTEC está baseado no interesse brasileiro no âmbito da aquisição de helicópteros da Rússia nos últimos anos. Foram entregues ao Brasil helicópteros de combate Mi-35M e Mi-17, estes últimos utilizados para fins civis. Além disso, o país declarou formalmente interesse em adquirir o modelo mais recente do Kamov Ka-62, usado para múltiplos propósitos.

A participação da ROSTEC na LAAD 2015 irá incluir, além do Ka-62, a apresentação de outros modelos de helicópteros, com destaque para o de combate Mi-28NE, o de reconhecimento armado Ka-52, e os utilizados para o transporte militar Mi-171SH e Mi-171A2, além do Mi-171A1 e Ka-32, sendo os dois últimos certificados no Brasil.

Foto 3 ROSTEC-Brasil.
Pantsir S1 em uma plataforma RMMV como oferecido ao Brasil em parceira com a Odebrecht Defesa e Tecnologia. (Imagem: ROSTEC)

Também será exibido o jato de treinamento e combate militar Yak-130. Ainda no setor de defesa, os visitantes poderão conhecer os sistemas de mísseis antitanque Cornet, o de defesa antiaérea de curto alcance Igla-S e o de artilharia antiaérea de médio alcance Pantsir-S1.

Pela primeira vez na mostra, a ROSTEC contará com a participação de sua subsidiária Technodinamika. A companhia deve despertar o interesse de parceiros potenciais para o desenvolvimento do sistema contra incêndio elaborado para a nova aeronave comercial da Rússia, o modelo MS-21 (MC-21 em russo), criado em conjunto com a Irkut Corporation e Yakovlev Design Bureau.

A holding Russian Helicopters, que pertence à ROSTEC, permanece negociando o fornecimento de aeronaves consideradas ideias no atendimento das necessidades de forças policiais e órgãos que executam operações de resgate.

A companhia apresentará também durante a LAAD 2015 um exemplo das soluções por ela desenvolvidas na forma do sistema “Cidade Segura”, considerado eficaz na prevenção e previsão de incidentes e crimes, além de ideal para a garantia de segurança em eventos de grande porte, como os Jogos Olímpicos de 2016.

FAEX XII
A aquisição de helicópteros Mi-35M para a FAB foi um marco no estreitamento das relações entre a ROSTEC e o Brasil. (Imagem: Agência Força Aérea)

As negociações sobre esse tema terão continuidade durante a LAAD 2015, palco no qual também se discutirá a cooperação no projeto “E-Governo”, o monitoramento e vigilância de fronteiras, além de sistemas de controle de tráfego aéreo, construção de portos, produção de equipamentos médicos e vacinas, tratamento de água e recuperação de solos contaminados por petróleo.

Outros projetos de infraestrutura também estão na pauta de negociações com representantes do Brasil, dando continuidade à proposta anunciada na última reunião entre os líderes dos BRICS, ocorrida em dezembro de 2014 na cidade de Fortaleza (CE). Na ocasião, os governos propuseram desenvolver e produzir de forma conjunta unidades de energia e de bombeamento de gás, tendo como principal base os motores de aeronaves com turbina que também são movidas a gás.

A cooperação técnico-militar entre ROSTEC e Brasil acontece desde 1994, quando foi assinado contrato para fornecimento de algumas remessas dos sistemas portáteis de mísseis terra-ar russos Igla-S. Em 2008, foi celebrado o acordo entre Rússia e o governo brasileiro para a cooperação no setor de defesa. O verdadeiro avanço nas relações entre os dois países ocorreu no mesmo ano, quando foi feita a entrega do primeiro lote dos doze helicópteros Mi-35M encomendados para a Força Aérea Brasileira, aeronave de ataque dotada de capacidade de transportar pequenos comandos de soldados.

Atualmente os dois países seguem negociando um acordo envolvendo sistemas de defesa antiaérea russos, incluindo o Pantsir-S1.

Foto 5 ROSTEC-Brasil.
A cooperação entre ROSTEC e Brasil acontece desde 1994 mediante fornecimento de sistemas portáteis de mísseis Igla-S. (Imagem: ROSTEC)

Paralelamente, ROSTEC colabora com o Brasil em um projeto conjunto para a instalação de uma fábrica de produção, montagem e manutenção de helicópteros russos da série Mi. Um acordo foi firmado entre a agência estatal Rosoboronexport, a Russian Helicopters e o grupo industrial-militar brasileiro Odebrecht Defesa e Tecnologia S.A. Em 2014, a Russian Helicopters autorizou o funcionamento do Centro de Serviços Autorizado da empresa Helipark Táxi Aéreo em território brasileiro, onde é realizada uma gama de atividades para a manutenção de helicópteros com rotores principais coaxiais, como o Ka-32A11VS que transporta comercialmente cargas industriais (suspensas por eslingas de cabos de aço) apoiando a construção de infraestrutura em áreas remotas da Amazônia.

A holding VSMPO-AVISMA, pertencente à ROSTEC, atende 100% da demanda de titânio utilizada pela fabricante brasileira EMBRAER. Na cidade russa de Neftekamsk, o consórcio brasileiro Marcopolo opera uma joint-venture com a KAMAZ (da Rostec) na produção de micro-ônibus.

Ivan Plavetz