KC-390 realiza primeiros testes de emprego militar

0
3420
(Imagem: Sargento Batista/CECOMSAER)

Os moradores de Campo Grande (MS) têm acompanhado uma movimentação atípica nos céus da cidade. Desde a última semana, o avião militar de transporte  KC-390 está na Base Aérea do município mato-grossense para uma campanha de testes que deve seguir até o próximo dia 09 de julho.

Um dos testes mais esperados, o primeiro lançamento de paraquedistas aconteceu na última terça-feira (21) e foi considerado um sucesso pelos envolvidos.

“Existia uma preocupação muito grande com a saída dos paraquedistas, pois trata-se de um fluxo aerodinâmico em torno de uma estrutura única no mundo. Felizmente, o retorno que recebemos dos militares foi muito positivo, relataram que a saída foi muito suave”, disse o coronel Cláudio Evangelista, gerente técnico do programa KC-390 na FAB.

Paraquedistas da FAB e do Exército Brasileiro saltaram do KC-390 em Campo Grande. (Imagem: Sargento Batista/CECOMSAER)

O primeiro paraquedista a saltar do KC-390 foi o comandante do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS), conhecido como PARA-SAR, major Anderson Oliveira Schiavo. Além dele, outros 17 militares da Força Aérea Brasileira e do Exército Brasileiro realizaram salto livre a 12 mil pés de altitude (mais de 3,5 Km), com saídas pela rampa e pelas portas laterais da aeronave. Para os próximos dias estão previstos ensaios de salto enganchado.

“Achei que o salto foi muito satisfatório, pois a aeronave nos deu estabilidade; a trepidação é quase inexistente”, contou o major Schiavo. O capitão Ricardo Alcântara, do Exército, concorda. “O aspecto em que senti a maior diferença com relação a outras aeronaves que operamos é o fato de o KC-390 ser muito mais estável”, disse.

Congelamento aerodinâmico

Imagem 3 KC-390-Testes.Cong.Aero
Testes para o congelamento aerodinâmico do KC-390 estão acontecendo em Campo Grande. (Imagem: Sargento Batista/CECOMSAER)

A campanha de testes faz parte do chamando congelamento aerodinâmico da aeronave. Ou seja, verificar a necessidade de modificações aerodinâmicas decorrentes de aspectos observados nos testes para definir o perfil externo final da aeronave.

Segundo o engenheiro André Gama, da Embraer Defesa & Segurança (EDS), além do lançamento de paraquedistas, essa campanha inclui lançamento de cargas e verificação da estabilidade dos paraquedas extratores.

Ele afirma que os testes devem servir, em primeiro lugar, para embasar o desenvolvimento da aeronave, mas que alguns serão utilizados também para a certificação do KC-390. “É praticamente um exercício de guerra. Em alguns dias, a campanha chega a ter o envolvimento de 200 pessoas, entre profissionais da Embraer e militares”, finalizou Gama.

Ivan Plavetz