Fundação Ezute e Escola de Guerra Naval apresentam estudo sobre ciclo de vida em projetos de defesa

0
510
Oficina faz parte de programa de cooperação acadêmica entre EGN e Fundação. (Imagem: Divulgação)

No início de outubro, a Fundação Ezute e a Escola de Guerra Naval realizaram a oficina “Modelos de Gerenciamento de Ciclo de Vida e Sistemas de Catalogação Aplicados à Defesa” para apresentar o resultado de um estudo feito em conjunto sobre o tema.

A pesquisa teve como objetivo entender os modelos de gerenciamento de ciclo de vida existentes no país e no exterior aplicados à defesa e contribuir para o aprimoramento do pensamento sistêmico sobre o tema.

O desenvolvimento do estudo é parte de um projeto de pesquisa realizado em parceria entre EGN e Ezute no biênio 2016-2017. Participam do projeto professores e alunos do Programa de Pós-Graduação em Estudos Marítimos (PPGEM-EGN) e profissionais da Fundação.

A apresentação trouxe os resultados parciais da pesquisa de análise comparativa dos modelos internacionais e nacionais de gerenciamento de ciclo de vida, que serviram de base para o desenvolvimento do tema, seguida da explicação da Ezute sobre a aplicação da Engenharia de Sistemas ao tema Ciclo de Vida.

Os professores da EGN também divulgaram a pesquisa em desenvolvimento sobre “Mobilização da Indústria de Defesa na América do Sul: a Contribuição do Sistema de Catalogação de Produtos de Defesa“.

A oficina ainda teve participação do Centro de Apoios a Sistemas Logísticos de Defesa (CASLODE), uma nova organização que engloba as atividades do antigo Centro de Catalogação de Defesa (CECADE), que apresentou o processo de inserção brasileira no sistema de catalogação adotado pela OTAN.

“No Brasil, os processos de aquisição de sistemas das três forças seguem modelos elaborados de forma isolada. O desenvolvimento de estudos sobre ciclo de vida de sistemas, além de apresentar divergências e convergências dos modelos nacionais e internacionais, reitera a importância da engenharia de sistemas e de seus conceitos, a necessidade de concepção de um modelo comum para as forças e contribui para a construção de uma mentalidade integrada, consolidando o papel do Ministério da Defesa”, comentou Cleber Oliveira, especialista em Engenharia de Sistemas da EZUTE.

Esse é o segundo ciclo de pesquisa realizado pela Fundação Ezute em parceria com a Escola de Guerra Naval desde a celebração do Termo de Cooperação Acadêmica, em 2015.

O primeiro tema estudado foi a “Prospecção de Futuros: Estudo da Hidrovia do Madeira”.