Folha de São Paulo, um jornal desconectado da realidade? (Análise)

0
2549
Enquanto a Imprensa Internacional chama a Policial Militar de Herói, a Folha de São Paulo tenta amedrontar a população, jogando-a contra a instituição. A mando de quem?

(*) Autor: coronel PMESP Humberto Gouvea Figueiredo

Deixei de assinar a Folha de São Paulo há muito tempo.

E tenho agora, com afinco, me dedicado a convencer os poucos amigos que ainda são assinantes, a cancelarem sua assinatura.

A Folha contaminou-se por uma ideologia à esquerda e abandonou de vez a isenção que se exige de um veículo de comunicação que almeja alcançar um grande público.

Suas posições editoriais e de seus principais jornalistas e articulistas estão completamente dissociadas do que pensa a opinião pública.

É um jornal que já não consegue falar com ninguém.

Vejamos o exemplo da sua capa de hoje, quando critica a ação de uma policial militar que, heroicamente, agiu e protegeu a vida de várias pessoas, ao, tecnicamente efetuar disparos contra um criminoso que apontava uma arma de fogo contra pessoas, algumas das quais crianças, que estavam na frente de uma Escola em Suzano.

A Folha será sempre contra a Polícia Militar!

O post atribuído ao Governador de São Paulo Márcio França: #OsPoliciasDeSPSaoEspecialistas

Certamente se a policial militar tivesse se omitido e deixado o crime ocorrer, a manchete da Folha seria “Policial Militar se acovarda e mães são assaltadas”.

Como agiu, a crítica é por ter agido!

Não é por outra razão que a Folha perde, dia após dia, mais assinantes.

Não se manterá com o tempo, porque a sociedade já não aceita um jornal tão enviesado e contaminado ideologicamente.

Convido você que ainda assina a Folha a cancelar seu vinculo.

O Jornal já não se presta mais a informar, mas sim a convencer os seus leitores a verdades que só seus editores, jornalistas e articulistas acreditam!

Assim penso.

Fox News: ação da policial foi heróica e decisiva.
New York Post: Policial Mamãe salva o dia. Em ambos os casos da imprensa norte-americana citados, a policial foi a Heroína do Dia. Excepto para a “brasileira” Folha de São Paulo……

(*) é Coronel da Reserva da Polícia Militar. Possui Doutorado Profissional em “Ciências Policiais de Segurança e da Ordem Pública” pelo Centro de Altos Estudos em Segurança da Polícia Militar do Estado de São Paulo (CAES), Mestrado Profissional em “Ciências Policiais de Segurança e da Ordem Pública” pelo Centro de Altos Estudos em Segurança da Polícia Militar do Estado de São Paulo (CAES) Pós- Graduação “latu sensu” em “Gestão Pública e Gerencia de Cidades” pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) , Pós-Graduação em “Competências Gerências Públicas” pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), Pós-Graduação “latu sensu” pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) em “Governança Pública: Novos Rumos da Gestão”; possui Curso de Extensão Universitária em “Gestão Organizacional de Segurança Pública e Justiça Criminal” pela Universidade de São Paulo (USP); possui Bacharelado em “Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública” pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB); possui Licenciatura Plena em “Educação Física” pela Escola de Educação Física da Polícia Militar do Estado de São Paulo (EEFPM); possui Bacharelado em “Ciências Jurídicas” pela Universidade de Araraquara (UNIARA). Atualmente é Coronel da Polícia Militar do Estado de São Paulo, servindo na Escola Superior de Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo.