Foguete com propulsão desenvolvida no DCTA é lançado na Austrália

0
1117
O primeiro estágio do veículo espacial foi produzido pelo IAE (Imagem: FAB)

O foguete suborbital VS-30/IO V12 foi lançado com sucesso do Centro de Lançamento de Woomera ( WIR- Woomera Instrumeted Range), na Austrália, na última semana.

O propulsor S30 (primeiro estágio do VS-30/IO) foi produzido pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), organismo do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

O VS-30/ORION é um foguete suborbital de dois estágios de propelente sólido, não guiado, estabilizado por empenas (aletas aerodinâmicas) e lançado de plataforma dotada de trilhos. Consiste de um propulsor S30, no primeiro estágio e um propulsor “Improved Orion (IO)” no segundo estágio. O foguete pode efetuar missões com cargas úteis científicas e tecnológicas entre 100 a 260 Kg.

De acordo com a FAB, o voo do foguete foi nominal (apogeu de 278 Km e alcance de 390 Km), sendo considerado um sucesso. A carga útil transportada correspondeu ao experimento hipersônico HiFire (Hypersonic International Flight Research Experimentation Program liderado pela NASA, pelo AFRL (Air Force Research Laboratory) dos Estados Unidos e pelo Defence Science and Technology Organisation (DSTO) da Austrália, com colaboração do DLR (Centro Aeroespacial da Alemanha).

O motor S30, do segundo estágio, tem sido largamente utilizado em outros foguetes suborbitais, tais como o Sonda III, VS-30 e VSB-30. Todos esses foguetes já foram utilizados dentro do acordo de cooperação entre o IAE/DCTA e o DLR.

“A expectativa é de que o S30 continue cumprindo com eficiência a missão para a qual foi idealizado, ampliando o papel do Brasil como provedor de tecnologia e confirmando a confiança que seus parceiros internacionais nele depositaram e proporcionando a transferência das tecnologias de foguetes suborbitais já dominadas pelo DCTA/IAE para a indústria nacional”, contou o pesquisador engenheiro do IAE e gerente do projeto, Eduardo Dore Roda.

Até agora foram efetuados 12 lançamentos, nove voos relacionados com o DLR, sendo que três deles partiram do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA). Esta foi a primeira vez que um foguete brasileiro é lançado do território australiano. O próximo lançamento está previsto para 2017 envolvendo um foguete VSB-30 com  carga útil HiFire 4.

Ivan Plavetz