FAB volta a atuar na BRABAT

0
1368

Vinte e seis militares da Força Aérea Brasileira (FAB) compõe o 25º contingente do Batalhão Brasileiro de Força de Paz (BRABAT) na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (MINUSTAH conforme sigla internacional). Os militares fazem parte do efetivo do Segundo Comando Aéreo Regional (II COMAR) e passaram por um treinamento de seis meses junto com o Exército Brasileiro.

“As expectativas são as melhores possíveis de cumprir a missão, nos preparamos muito bem para isso. Foram seis meses de treinamento junto com o Exército e esperamos representar bem o Brasil, as Nações Unidades e a Força Aérea Brasileira”, ressaltou o comandante do pelotão da FAB, tenente Vinícius Duarte da Silva Fonseca.

Em Recife, os 250 militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica participaram da cerimônia de despedida antes de embarcar no Boeing 767 da FAB que os transportou até Porto Príncipe, capital haitiana.

“Dessa vez eu estou mais experiente, mas com a mesma vontade de cumprir a missão. A saudade da família é difícil, mas com amor à missão vamos superar”, disse o cabo Severino Alexsandro Tavares, que vai pela segunda vez para a missão de paz.

Embarque para Porto Príncipe (Imagem Agência Força Aérea)
Embarque para Porto Príncipe (Imagem: Agência Força Aérea)

No total, quase mil homens e mulheres das Forças Armadas, que servem na região Nordeste, serão transportados pela FAB em quatro voos. O primeiro foi realizado no dia 29 de novembro. Na ocasião, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, participou da cerimônia de despedida. “Os senhores completarão o contingente de 35 mil militares das Forças Armadas deslocadas para o Haiti desde 2004. Este é o quinto contingente de militares do nordeste”, disse.

Durante a solenidade de despedida, o comandate do II COMAR, major-brigadeiro do ar Luiz Fernando Aguiar, destacou a importância do apoio das famílias aos militares e a compreensão de que se trata de uma missão de extrema relevância.

Na chegada a Porto Princípe, a tropa seguiu em comboio até a sede do BRABAT, onde já começaram a receber orientações sobre as instalações e a rotina na base.

“Na nossa chegada aqui temos algumas providências antes de começar a atuar, como fazer a identificação e a habilitação para dirigir pelas Nações Unidas (ONU). Além de receber as orientações e informações do contingente que está sendo substituído”, explicou o coronel Damião Fontenele dos Santos, oficial de ligação da FAB no BRABAT.

Embarque para Porto Príncipe (Imagem Agência Força Aérea)
Embarque para Porto Príncipe (Imagem: Agência Força Aérea)

Desde 2004 as tropas brasileiras participam da MINUSTAH e atuam na área de segurança, além de prestar apoio às atividades de assistência humanitária e de fortalecimento das instituições nacionais daquele país. A cada seis meses, homens e mulheres das Forças Armadas deixam o Brasil para representar o País na missão.

 

Ivan Plavetz