Esquadrão Pelicano e os dois últimos H-1H: viagem por terra até o Campo de Marte.

0
2472
Os exemplares FAB 8674 e FAB 8693, sem os motores, foram semi-desmontadas para permitir as carretas da FAB saírem do hangar carregadas com os helicópteros de forma segura e riscos de danificar alguma estrutura ou os próprios helicópteros.

Dando prosseguimento a desativação dos helicópteros H-1H Huey “Sapão” na Força Aérea Brasileira (FAB), o 2º/10ºGAv, Esquadrão Pelicano, preparou para transporte, por via terrestre, duas células do modelo, previamente desmontadas em alguns componentes principais como rotores, cone de cauda, esquis, etc.

Essas células foram enviadas na primeira semana de novembro para o Parque de Material Aeronáutico do Campo de Marte, em São Paulo, para recolhimento e destino final.

Os exemplares FAB 8674 e FAB 8693, sem os motores, foram semi-desmontadas para permitir as carretas da FAB saírem do hangar carregadas com os helicópteros de forma segura e riscos de danificar alguma estrutura ou os próprios helicópteros.

O H-1H FAB 8674 foi adquirido de um lote de dois, do US Army, em 1976.

O FAB 8693 tem como origem o último lote adquirido dos estoques do US Army na Alemanha em 1997. Todos os H-1H desse lote vieram preparados para uso de óculos de visão noturna (NVG) e pintura anti-reflexiva especial, áspera ao toque.

Desativação

O processo de desativação dos H-1H foi iniciado em 25 de junho de 2012, com a doação de quatro aeronaves para a Força Aérea Boliviana, onde deveriam servir para o combate ao narcotráfico.  A maioria das aeronaves ainda em serviço foi paralisada, restando apenas 5 aeronaves no Esquadrão Pelicano, o 2º/10º GAv (as últimas a serem desativadas).

Em 18 de outubro de 2018, finalmente as últimas aeronaves foram definitivamente aposentadas. O H-1H 2703 fez o último corte do motor em Campo Grande no dia 22 de outubro, encerrando uma brilhante carreira de 51 anos de serviço, uma das mais longevas da Força Aérea Brasileira.

Durante a sua vida operacionais, as células eram revisadas no Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos (PAMA-AF), e os motores Lycoming T-53 eram revisados no Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP), no Campo de Marte.