Esquadrão Escorpião comemora 70 mil horas de voo

0
1440

Eram 8 horas e 50 minutos em Boa Vista (RR) quando uma formação com quatro aeronaves A-29 do Esquadrão Escorpião (1°/3° GAv) decolou para realizar um voo de treinamento e formação de Líderes de Esquadrilhas da Aviação de Caça. Seria uma missão rotineira, mas foi com ela que o esquadrão alcançou a expressiva marca de 70 mil horas voadas em seus 21 anos de existência.

Para o tenente aviador Danyel Costa Barbosa Abdala, piloto em formação que liderou a esquadrilha na missão, a sensação de alcançar a marca foi ímpar. “Além da responsabilidade de conduzir a esquadrilha, de atingir os critérios estabelecidos para o sucesso na instrução, busquei levar todo o suor e garra de todos aqueles que por aqui passaram e deixaram o seu legado”, contou.

O comandante do Esquadrão Escorpião, tenente-coronel aviador Ricardo Bevilaqua Mendes, ressalta que a meta alcançada concretiza o trabalho de homens e mulheres que dedicaram seus esforços para que a unidade alcançasse essa marca com segurança e constante melhoria de desempenho. “Por trás de cada hora voada, há muito mais horas dedicadas à correta manutenção, à administração dos recursos humanos e ao preparo dos pilotos para aplicar toda gama de conhecimento na nacele do seu avião”.

Ele também falou do futuro da unidade, que passa por mudanças para se adequar à reestruturação da FAB. “O momento em que alcançamos essa marca coincide, de maneira oportuna, com os novos rumos que o Esquadrão vai seguir. O Setor de Material, no qual os militares estiveram envolvidos na manutenção dos vetores de combate, passará a ser um Grupo Logístico inserido na Ala 7, assim como o Escorpião, recebendo novas atribuições e com nova subordinação”, disse.

(Imagem: Esquadrão Escorpião)

Ativado em 28 de setembro de 1995, o 1°/3° GAv é conhecido por ser a primeira unidade de caça da Região Norte e atuar na defesa da Amazônia setentrional. Inicialmente, operando aeronaves T-27 Tucano, fazia parte da extinta Aviação de Ataque.

Dez anos após a sua criação, já como Unidade Aérea da Aviação de Caça, o Esquadrão Escorpião recebeu as primeiras unidades dos modernos vetores que reequiparam a linha de voo do 1°/3° GAv, o A-29 Super Tucano. Uma aeronave de fabricação nacional que conta com aviônica moderna e interface homem-máquina avançada que permite precisão tanto nas navegações, quanto no emprego do armamento.

Atualmente, o Escorpião tem como objetivo alcançar a excelência operacional no cumprimento de missões de ataque, apoio aéreo aproximado, reconhecimento armado, interceptação e formação de líderes de esquadrilha da aviação de caça.

 

Ivan Plavetz