Corveta Classe Tamandaré e HMS Ocean para a Marinha do Brasil.

0
6084
A Marinha abriu no dia 19 de dezembro a segunda etapa do projeto Corveta Classe Tamandaré para o recebimento de propostas de empresas interessadas em construir no Brasil quatro navios de superfície de alta complexidade tecnológica (Imagem: Gino Marcomini, T&D)
  • O Projeto “Corveta Classe Tamandaré” receberá um investimento da ordem de US$ 1,6 bilhão.
  • Esses navios serão construídos visando atender tanto o mercado de defesa nacional quanto o internacional.
  • A encomenda da Marinha do Brasil, anunciada no último dia 19 de dezembro, tem como previsão de entrega da primeira corveta um prazo de quatro anos após a data de assinatura do contrato com o estaleiro vencedor da concorrência.
  • As três corvetas que completam o lote devem estar entregues e em serviço antes de completados um prazo de oito anos.
Rio de Janeiro – O ministro da Defesa, Raul Jungmann durante lançamento da segunda etapa de projeto que visa construção de quatro navios de superfície de alta complexidade tecnológica (Tomaz Silva).

O final do ano de 2017 pode ser considerado um marco na recente história da Marinha do Brasil.

Após “cortar na carne” e determinar a desmobilização do NAe A-12 São Paulo, a Marinha viu-se premida pela necessidade de incorporar com urgência novas escoltas de superfície modernas, pois a degradação das fragatas disponíveis é irreversível, devido a idade do material e obsolescência como sistema de armas.

Com as dificuldades orçamentárias, a crise fiscal e a grande soma necessária para viabilizar o PROSUPER e suas escoltas de 6.000 toneladas (fragatas), um “plano B” tomou forma nos corredores do Ministério da Defesa e Comando da Marinha do Brasil.

Vista lateral do Projeto: limpeza de linhas e furtividade.

O caminho seria apostar em corvetas pesadamente armadas multimissão. Assim, foi lançado o “Projeto Corveta Classe Tamandaré“.

Na estratégia montada pelo Almirantado e pelo  Ministro da Defesa, Raul Jungmann, a empresa pública EMGEPRON** assumiu um papel fundamental, recebendo uma capitalização de recursos garantida através de um importante apoio político dos ministros Fazenda e do Planejamento, e do presidente Michel Temer. 

**Está em tramitação no Congresso projeto de lei que abre crédito especial para capitalização da Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron) em R$ 500 milhões, para início da construção das corvetas.

A lei viabilizará a capitalização a fim de iniciar o programa de Recomposição do Núcleo do Poder Naval a partir da construção das quatro corvetas, em estaleiros nacionais, com transferência de tecnologia e participação de estaleiro/parceiro estrangeiro.

Rio de Janeiro – O comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira durante lançamento da segunda etapa de projeto que visa construção de quatro navios de superfície de alta complexidade tecnológica (Tomaz Silva/Agência Brasil).

No dia 19 de dezembro último, essas estratégias foram consolidadas com a apresentação pública do Request for Proposal (Solicitação de Propostas) aos estaleiros interessados, durante concorrido evento na Escola de Guerra Naval, prestigiado por quase todos os almirantes da ativa e uma significativa platéia de empresários, representantes de instituições de pesquisa e convidados.

O HMS Ocean (Imagem: Royal Navy).

O ministro Raul Jungmann e o comandante da Marinha do Brasil, almirante-de-esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira aproveitaram a ocasião para anunciar a compra do navio multifunção HMS Ocean, da Real Marinha Britânica (Royal Navy), avaliado em £ 84 milhões de libras esterlinas.

Segundo o ministro, essa aquisição será feita com recursos próprios. Jungmann complementou a sua fala informando que a construção de navios patrulha é outro programa da força que deverá ser contemplado em breve com novos contratos.

Rio de Janeiro – O diretor de Gestão de Programas da Marinha, vice-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar durante lançamento da segunda etapa de projeto que visa construção de quatro navios de superfície de alta complexidade tecnológica (Tomaz Silva/Agência Brasil).

RFP da Classe Tamandaré – NOTA OFICIAL

A Marinha do Brasil, por meio da Diretoria de Gestão de Programas da Marinha (DGePM), informa que a Solicitação de Propostas (RFP) para o Projeto “Corveta Classe Tamandaré”, divulgada no último dia 19 de dezembro, após as devidas qualificações jurídicas, foi encaminhada para as seguintes empresas interessadas no processo:

BAE Systems Ltda
– Chalkis Shipyards S A
– Damen Schelde Naval Shipbuiding BV
– Fincantieri SpA
– Naval Group BR
– Navantia S A
– Posco Daewoo do Brasil
– Rosoboronexport Joint Stock Company
– SAAB AB
– Thyssenkrupp Marine Systems GmbH
– Wuhu Shipyard CO Ltd
– Zentech do Brasil Serviços Técnicos Ltda

O período de distribuição da RFP para as demais empresas nacionais e internacionais que venham a expressar interesse pelo Projeto “Corveta Classe Tamandaré” se encerra no dia 19 de janeiro de 2018.

CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA

A Corveta Classe Tamandaré em um conceito inicial de 2016. (Arte: Gino Marcomini).