Caça Rebelde II: SU-30MKV da FANBV intercepta EP-3 Orion de espionagem sobre o Caribe

0
1455
O incidente ocorreu na última sexta-feira (19) e gerou protestos dos EUA contra a Venezuela.

Um jato de combate de fabricação russa SU-30 MKV da Fuerza Armada Nacional Bolivariana – Aviación Militar Bolivariana (FANBV-AMB) teria se aproximado perigosamente de um quadrimotor turbo-hélice de EP-3B Orion (Aries II), em missão de espionagem de sinais e comunicações militares venezuelanas, em águas internacionais caribenhas, isso segundo comunicado emitido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

O incidente ocorreu na última sexta-feira (19) e gerou protestos dos EUA contra a Venezuela.

Segundo a Marinha dos EUA – US Navy, um avião de espionagem eletrônica de sinais EP-3B Aries II, versão militar do conhecido Electra, sobrevoava águas internacionais ao norte do país sul-americano quando foi interceptado por um Sukhoi Su-30.

Ainda de acordo com a Marinha americana, o caça se aproximou “perigosamente” do turbo-hélice “a uma distância insegura no espaço aéreo internacional por um período prolongado de tempo, colocando em risco a segurança da tripulação e colocando em risco a missão do EP-3 (sic)”.

A declaração norte-americana, que chamou o episódio de “não profissional”, afirmou ainda que o EP-3 estava executando um voo autorizado por acordos internacionais e que o regime de Nicolás Maduro “opta por usar os recursos preciosos de seu país
para se envolver em atos não provocados e injusticados”.

Os EUA ainda aproveitaram a oportunidade para, no mesmo comunicado, criticar a Rússia “pelo apoio militar irresponsável ao regime ilegítimo de Maduro, que mina o estado de
direito internacional e os esforços para combater o tráfico ilícito”.

Obs do Autor: cada um tem as reações que merece. Outro exemplar dessa mesma aeronave, realizando missão de espionagem ao largo da China, em abril de 2001, foi interceptada por um caça chinês que, deliberadamente, colidiu com o quadrimotor, obrigando-o a pousar em um aeroporto local em emergência. O avião foi devolvido posteriormente em partes, após ser minuciosamente estudado por técnicos chineses. A tripulação americana foi liberada alguns dias depois do incidente. No entendimento desse autor, no caso da China, “o buraco é mais embaixo” e os americanos protestaram, espernearam mas… tiveram de entubar um EP-3 Ares devolvidos aos pedaços, exatamente como os americanos fizeram como MIG-25 Foxbat do desertor soviético Viktor Belenko, em setembro de 1976.